Gary Oldman recebe o Oscar de melhor ator por “O Destino de Uma Nação”

  • Por Agência EFE
  • 05/03/2018 07h45
EFE"Põe a chaleira para ferver, que eu levo o Oscar", disse o ator para sua mãe, que completará 99 anos

O britânico Gary Oldman confirmou o favoritismo e recebeu na noite deste domingo, em cerimônia realizada em Los Angeles, o Oscar de melhor ator pelo trabalho em “O Destino de Uma Nação”.

Para conquistar o prêmio, o Oldman superou Timothée Chalamet (“Me Chame pelo Seu Nome”), Daniel Day-Lewis (“Trama Fantasma”), Daniel Kaluuya (“Corra!”) e Denzel Washington (“Roman J. Israel, Esq.”).

“Este prêmio é glorioso. Os Estados Unidos me deram muito: o meu lar, a minha vida, a minha família e, agora, um Oscar”, comentou, antes de se emocionar ao lembrar da mãe, que em breve completará 99 anos de idade.

“Ela está vendo isto do sofá. Obrigado pelo seu amor e pelo seu apoio. Põe a chaleira para ferver, que eu levo o Oscar”, acrescentou.

Atores como Albert Finney, Brendan Gleeson, Richard Burton, Timothy Spall, Bob Hoskins e Christian Slater já tinham interpretado o ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill, mas Oldman oferece o retrato definitivo do icônico político sem parecer uma mera imitação.

Gary Oldman já havia sido indicado ao Oscar de melhor ator uma vez, em 2011, por “O Espião Que Sabia Demais”.