Martin Scorsese explica críticas a filmes da Marvel: ‘Não há riscos e revelações’

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2019 08h47
Divulgação/ Paramount PicturesScorsese não é fãs dos filmes da Marvel

Martin Scorsese, que causou controvérsia ao criticar os filmes da Marvel, dizendo que “não são cinema”, voltou a explicar suas declarações. Segundo ele, os blockbusters não têm “revelações, mistérios ou perigo emocional genuíno”.

O diretor concordou que houve “talento e arte consideráveis” envolvidos nas produções de super-heróis, mas explicou que seu desgosto pela franquia é simplesmente um caso de “gosto pessoal e temperamento”.

“Eu sei que se eu fosse mais jovem, se eu tivesse amadurecido mais tarde, talvez eu ficasse animado com esses filmes e até quisesse fazer um eu mesmo”, escreveu Scorsese ao The New York Times. “Mas eu cresci quando cresci e eu desenvolvi um senso de filmes – do que eles são e o que poderiam ser – que é tão longe do universo Marvel como nós da Terra estamos da Alpha Centauri.”

Scorsese reforçou que diretores lutaram por um cinema considerado “forma de arte” que era similar à “literatura, música ou dança”, citando nomes como Alfred Hitchcock, Sam Fuller e Jean-Luc Godard como exemplos. “60 ou 70 anos depois, nós ainda estamos assistindo a esses filmes e nos maravilhando. Mas são os efeitos ou os choques que fazem com que voltemos a eles? Acredito que não.”

Martin argumentou que, embora filmes do estúdio possam ter elementos do cinema, eles não assumem riscos e são previsíveis: “Não há revelação, mistério. Não há nada em risco”.

“Os filmes são feitos para satisfazer uma lista fixa de exigências, com variações dos mesmo temas”, criticou. “Essa é a natureza das franquias modernas: pesquisa de mercado, teste de audiência, modificados diversas vezes até que fiquem prontos para o consumo.”