Mulheres acusam médium João de Deus de abuso sexual no ‘Conversa com Bial’

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2018 11h15
Cesar Itiberê/Fotos PúblicasJoão de Deus ficou entre os assuntos mais comentados no Brasil após a denúncia

O programa “Conversa com Bial”, exibido na madrugada deste sábado (8), trouxe depoimentos de mulheres que denunciaram abusos sexuais do médium João de Deus.  Ele atua há 40 anos com tratamentos espirituais, em Abadiânia (GO). Famosos como Xuxa, Marcos Mion, Oprah Winfrey, Luciana Gimenez, entre outros, já marcaram presença nas cirurgias milagrosas.

A chantagem emocional com as mulheres, que buscavam a cura de problemas pessoais, foi o gatilho para a denúncia tardia. “Ele dizia: ‘Se você não fizer o que eu estou falando, a sua doença vai voltar”, explicou uma das entrevistadas que não quis se identificar.

No total, foram ouvidas 10 pessoas que afirmam ter sofrido abusos de João de Deus. O programa, contudo, exibiu apenas quatro depoimentos – três deles sem a identificação das denunciantes.

A holandesa Zahira Lienike Mous foi a única mulher que aceitou mostrar o rosto no palco do programa. Ela conheceu o João de Deus em 2014, intermediada por um amigo. Seu tio morava em Minas Gerais. Após muitas pesquisas ela se sentiu à vontade em visitar o local sozinha. “É um cenário bem bizarro. Você, de certa forma, se sente especial, acha que vai receber a cura”.

Após uma semana de sua primeira vista, Zahira voltou para a “Casa” em busca do milagre e se dirigiu para um atendimento individual com o médium, que a colocou de joelhos. “[Ele] Abriu a calça, colocou a minha mão no pênis dele e começou a movimentar a minha mão. Estava em choque. Enquanto isso, ele continuava falando da minha família e disse que eu deveria sorrir”, relatou, emocionada.

Dias depois ele a puxou para o mesmo local, um grande banheiro. “Ele me puxou de novo para o banheiro. Um padrão parecido, mas ele deu um passo adiante: me penetrou por trás”, a holandesa havia procurado João de Deus para se curar de um outro abuso sexual sofrido no passado.

Uma das entrevistadas brasileiras, que também não quis se identificar, conta que procurou a “Casa” este ano, após ser diagnosticada com câncer de mama. Na primeira visita, no começo de 2018, ela foi acompanhada pelo marido.

Em abril, ela retornou para a cirurgia espiritual, mas, dessa vez sozinha, João disse que ela não poderia dizer nada sobre “o processo da cura”. “Achei estranho, mas estava muito desesperada. Tinha muita confiança nele. Senti o membro dele nas minhas nádegas, ele comprimindo meu corpo. Comecei a chorar e pensava: ‘Como vou sair daqui?’”, contou.

Em nota, a assessoria do médium rechaçou as acusações: “Há 44 anos, João de Deus atende milhares de pessoas em Abadiânia, praticando o bem por meio de tratamentos espirituais. Apesar de não ter sido informado dos detalhes da reportagem, ele rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”.