Variety elege piores filmes de 2018; ‘Vingadores: Guerra Infinita’ é um deles

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2018 10h53 - Atualizado em 16/12/2018 11h14
Divulgação "“Os loucos por trás do Universo Cinematográfico Marvel estão fora de controle", disparou um dos críticos

Todos os anos, premiações como o Oscar e o Globo de Ouro indicam as melhores produções dos últimos 12 meses para apreciação dos críticos. Por outro lado, apenas um prêmio seleciona os piores filmes do último ano, o Framboesa de Ouro. Enquanto não sai o ranking desses “homenageados”, os colunistas Peter Debruge e Owen Gleiberman, da revista Variety, listaram suas decepções.

Cada um dos colunistas elegeu cinco produções. Selecionamos aqui trechos de suas (nada delicadas) explicações.

Peter Debruge

Vingadores: Guerra Infinita: “Os loucos por trás do Universo Cinematográfico Marvel estão fora de controle. Primeiro eles explodiram um planeta inteiro e riram, e então veio o estalo de Thanos.”

Duck Butter: “Os personagens de Shawkat e Laia Costa se encontram bonitinhos e ‘planejam passar as próximas 24 horas juntos, fazendo sexo a cada hora’. Acontece que isso era apenas um pretexto para um par de performances insuportavelmente escatológicas, desajeitadamente improvisadas.”

Gotti: “Deveria haver uma lei contra filmes como este. Tenho certeza de que John Travolta achava [o papel] difícil demais, já que o durão John Gotti, de Gotham – o chefe do crime da família Gambino, condenado por cinco assassinatos e outras oito acusações – era sua grande figura na glória do Oscar.”

A Vida Em Si: “Fogelman gostaria de acreditar que ele é muito mais profundo e eloquente do que outros escritores, quando na verdade ele está apenas interpretando Deus, inventando personagens que falam o que pensam e depois manipulando eles para provar sua tese de que ‘a vida é o narrador não confiável final’.”

London Fields: “Tudo depende de uma femme fatale (Amber Heard, ickily objetificada por todos, incluindo o ex-marido Johnny Depp em um papel coadjuvante) que sabe exatamente quando ela será assassinada, mas não por quem.”

Owen Gleiberman

A Morte de uma Nação: “Seu mais recente discurso não apenas compara os democratas aos nazistas; literalmente finge que o liberalismo americano do pós-guerra roubou suas ideias animadoras de Hitler.”

O Mau Exemplo de Cameron Post: “Essa adaptação do romance de 2012 de Emily M. Danforth representa tudo que é sintético e enjoativo sobre filmes independentes quando toma emprestadas as atitudes simplistas e os truques manipuladores do falso cinema cinematográfico.”

Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível: “Christopher Robin é agora um idiota de meia-idade (Ewan McGregor) que passa muito tempo no escritório (assim como o filme). Mas então ele se reconecta com seus velhos amigos no Bosque dos Cem Acres, como um burocrático preso em antigas reprises.”

Como Falar com Garotas em Festas: “Um campo de ficção científica incrivelmente caprichoso e arrogante sobre um garoto (Alex Sharp) que se apaixona por uma garota (Elle Fanning) que pertence a um culto alienígena cujos membros ficam ao redor realizando números de dança de ginástica em vinil.”

Fúria em Alto Mar: “[O filme] quer arranhar essa coceira neo-Guerra Fria, mas sobre tudo o que vai te deixar nostálgico é lembrar de uma época em que as pessoas que fizeram filmes como este sabiam o que estavam fazendo.”