Por comparações com presidente, filme do Ursinho Pooh é barrado na China

  • Por Jovem Pan
  • 03/08/2018 16h26 - Atualizado em 03/08/2018 16h28
DivulgaçãoImagem de reprodução de cena de "Christopher Robin"

O novo (e aguardado) live-action da Disney, Christopher Robin, não será exibido na China. E o responsável é o grande astro da história, o Ursinho Pooh.

De acordo com o Hollywood Reporter, o longa-metragem foi proibido no país porque o personagem se tornou uma espécie de símbolo de resistência dos opositores contra o governo do presidente Xi Jinping. E acredite se quiser: tudo começou por comparações, inicialmente despretensiosas, da aparência do político com o animalzinho.

No ano passado, antes mesmo da divulgação do live-action, o ursinho já havia se tornado “persona non grata” na terra de Xi Jinping. Ao escrever “Little Bear Winnie” (nome dado a ele por lá) na rede social Weibo, uma mensagem começou a aparecer aos usuários alegando que aquele conteúdo seria “ilegal”. As figurinhas dele que existiam no WeChat também foram misteriosamente removidas.

As autoridades locais, no entanto, ainda não confirmaram as razões do banimento do filme nos cinemas. Segundo outras fontes ouvidas pela publicação, a decisão foi tomada somente por conta da cota de produções estrangeiras que é adotada no país.

Christopher Robin mostrará a vida adulta do personagem que dá nome ao longa, homem que acabou deixando para trás todos os momentos que passou na infância com a turma de Pooh, tornando-se sem imaginação. O ursinho e seus amigos reaparecem, então, para ajudá-lo a ser feliz com sua família. Ele estreia em 16 agosto e tem direção de Marc Foster.