Advogado de Jobson esclarece caso de doping após jogador ser cortado de jogo

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2014 22h37
Brasil - Rio de Janeiro - RJ - 25/09/2009 - Jorbson durante sua apresentacao oficial no Botafogo. O atacante de 21 anos assinou contrato ate o final deste ano. Foto: Fernando Soutello/AGIFjóbson

Jobson chegou a ser relacionado para a partida do Botafogo contra o Goiás, na noite desta quinta-feira (25), mas o clube carioca preferiu se resguardar por conta do caso de doping envolvendo o atacante.

Na época na qual o atleta estava no Al-Ittihad, da Arábia Saudita, Jobson teve o contrato rescindido por, supostamente, ter se recusado a passar por um exame antidoping, o que poderia render uma punição. Assim, o Botafogo preferiu não arriscar deixar o jogador para não tomar uma pena.

Em entrevista à Rádio Jovem Pan, o advogado de Jobson, Marcos Motta frisou que nenhuma comunicação oficial foi realizada nem por parte da CBF nem por parte da Fifa.

“Na verdade nós recebemos uma comunicação agora, no início da noite, vindo do Botafogo, que o clube tinha decidido não escalar mais o atleta em função de uma documentação não recebida, na verdade uma documentação enviada pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, baseada por sua vez em uma documentação que teria sido enviada pela WADA. Vale ressaltar que, neste momento, não há nenhuma comunicação formal da CBF, que é a entidade que regulamenta o futebol brasileiro, assim como não há nenhuma comunicação formal da FIFA, que é a entidade máxima do futebol mundial”, destacou Marcos Motta. “Então o que eu posso dizer nesse momento é que, por cautela, e não por determinação legal, o Botafogo optou por não escalar o jogador nessa noite. Nós estamos analisando a documentação toda, o Jobson contesta em todos os termos esse alegado caso de doping e vamos ver as medidas que vão ser tomadas no decorrer do dia de amanhã (sexta-feira)”, prosseguiu.

O advogado citou alguns detalhes sobre a sequência do caso. “Nós já tínhamos escutado o Jobson, vale ressaltar que o Jobson tem uma ação milionária contra o Al-Ittihad na Arábia Saudita e que esse alegado caso de doping surgiu após algumas desavenças entre o Jobson por questões de falta de pagamento e a diretoria do clube. Eu lanço aqui uma suspeita pela questão do doping, estamos analisando a documentação, mas o Jobson garante que nunca foi citado, nunca foi notificado de qualquer procedimento”, observou o advogado.

Por fim, Marcos Motta também ressaltou que o atleta continua tendo vínculo com o clube carioca.

“O Jobson continua atleta do Botafogo normalmente. No momento não há nenhum justo motivo para ruptura de contrato do lateral por parte do clube. Foi apenas uma cautela, uma decisão conjunta com o jogador de não escalá-lo pra evitar qualquer tipo de risco de perda de pontos para o clube. Mas vamos aguardar e eu tenho certeza que amanhã teremos um panorama um pouco mais claro da situação”, finalizou.