Advogado nega irregularidades em contrato de Rosberg com a Mercedes

  • Por Agência EFE
  • 06/04/2016 10h53
Documentos vazados no Panama Papers indicam irregularidades no contrato de Rosberg com a Mercedes

O alemão Nico Rosberg, vice-campeão das duas últimas edições do Campeonato Mundial de Fórmula 1, negou nesta quarta-feira (6) qualquer irregularidade no contrato firmado com a Mercedes, como sugerem documentos vazados no chamado Panama Papers.

A defesa do piloto foi feita por meio de comunicado, assinado pelo advogado Christian Schertz e publicado no jornal “Süddeutsche Zeitung”.

O texto confirma a existência de uma empresa nas Ilhas Virgens Britânicas, mas aponta que esta foi aberta por “questões de responsabilidade jurídica e a possibilidade de atuar em nível internacional”, e não por “questões fiscais”.

O advogado garante que Rosberg não cometeu qualquer irregularidade, e que todo o imposto que incide das remunerações feitas pela Mercedes, são recolhidas em Mônaco, residência do alemão.

O consórcio Daimler, proprietário da montadora que mantém a escuderia, também se defendeu, descartando qualquer margem de acusação.

“Nosso sistema de gestão está definido em função dos riscos, e, em relação a nossos parceiros e nossas atividades, não registramos anomalias”, diz comunicado da empresa.

De acordo com o “Süddeutsche Zeitung”, Rosberg tem contrato de 50 milhões de euros (R$ 208,15 milhões), com duração de três anos, mas não é pago diretamente pela Mercedes, e existe um acordo com a Ambitious Group Limited, sediada em paraíso fiscal que, supostamente, representaria o piloto.