África do Sul defende legalidade de pagamento de US$ 10 milhões à Fifa

  • Por Agencia EFE
  • 03/06/2015 10h24
Ministro dos Esportes da África do Sul - Fikile Mbalula

O ministro dos Esportes da África do Sul, Fikile Mbalula, defendeu nesta quarta-feira a legalidade do pagamento de US$ 10 milhões à Fifa, supostamente para comprar votos e ser escolhida como sede da Copa do Mundo de 2010.

“Não foi suborno e os fundos foram devidamente entregues a uma organização legítima”, disse o titular da pasta, em entrevista coletiva.

Segundo Mbalula, o governo sul-africano está aguardando “mais detalhes” da investigação que o FBI faz contra a Fifa. Foi a corporação americana que apontou a transferência, dirigida ao secretário-geral da entidade, Jérome Valcke, para posterior encaminhamento a Concacaf.

O diretor-geral do Departamento de Esportes e Lazer, Alec Moemi, explicou que existe “diferença-chave” entre o pagamento de suborno e o apoio legítimo para um projeto de desenvolvimento, que foi a justificativa dada para o encaminhamento dos US$ 10 milhões.