Aidar desabafa e dispara: “Não vai ser um ex-delegado que vai denegrir meu nome”

  • Por Jovem Pan
  • 17/12/2014 19h07
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 16-04-2014: Futebol: Juvenal Juvêncio (centro.), presidente da equipe do São Paulo, posa para foto com o candidato à presidência da equipe, Carlos Miguel Castex Aidar, durante as eleições do clube, em São Paulo (SP). (Foto: Davi Ribeiro/Fotoarena/Folhapress)Aidar mostrou-se irritado na coletiva e voltou a criticar a situação do clube deixada por Juvenal Juvêncio

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, convocou entrevista coletiva no fim da tarde desta quarta-feira (17) para esclarecer as declarações que deu a respeito de comissões recebidas por sua namorada, Cinira Maturana, em contratos fechados pelo Tricolor. Mas os temas se estenderam, e o mandatário chegou a se exaltar ao falar das acusações feitas pelo ex-presidente Juvenal Juvêncio.

“É a coisa mais normal do mundo (o contrato da namorada). Encontrei vários outros contratos aqui de gestões passadas. Não estou preocupado com minha imagem ou da Cinira, que está conosco desde maio”, disse. “Não tenho nada a esconder. Esse contrato de prestação de serviços não gerou nenhum negócio. E só não foi rescindido quando passei a ter um relacionamento com ela, porque não tinha nada feito”.

Aidar ficou mais exaltado ao falar da situação do clube após a gestão de Juvenal Juvêncio e das declarações do ex-presidente, que o chamou o atual de “traidor” e questionou sua legitimidade no cargo. “Tenho 68 anos, uma história e uma família para respeitar. Não vai ser um ex-delegado que vai denegrir meu nome”, disparou, citando de forma indireta o ex-presidente, que foi delegado da Polícia Federal. Ele também criticou a situação atual do clube. “A realidade é a que nós temos: uma dívida bancária e uma projeção de déficit no orçamento de 2015 de R$ 53 milhões”.

Até pelo cenário complicado das finanças do clube, Aidar valorizou a permanência de jogadores do elenco ao ser questionado sobre reforços. “Primeiro grande reforço: Ceni, que terminaria o contrato. Segundo: Souza, agora em definitivo. Terceiro: Hudson, renovou por três anos. Breno, que volta neste mês, talvez no dia 21. Rodrigo Caio, que já corre em campo”, afirmou. O dirigente também descartou a contratação de algumas estrelas especuladas no São Paulo. “Não temos condições de pagar Conca, Diego, Dudu… Nessa época do ano não há notícias, o que tem é isso”.

O tema das contratações respingou também nas disputas com a diretoria palmeirenses por reforços. “Não estou disputando nada com o Palmeiras. Só o Paulista e o Brasileiro. Mais nada. O Thiago Mendes é um grande jogador, mas tem muitos interessados e muito fatiado. O valor de mercado supera nossa condição. Somos pobres de dinheiro, mas ricos de intelectualidade”, disse. Ele também evitou falar do volante Wesley, tido como próximo palmeirense a ir para o São Paulo. “De Wesley, não falo. É do Palmeiras”.