Aidar propõe inversão de mando para São Paulo e Corinthians na Arena Corinthians

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2014 10h47
SÃO PAULO,SP,05.04.2014:AVANÇA SÃO PAULO/SPFC - Carlos Miguel Aidar durante evento Avança São Paulo acontece na manhã deste sábado (05), elegendo Conselho, na Sede Social do SPFC, na cidade de São Paulo (SP). (Foto: Dario Oliveira/Futura Press/Folhapress)Carlos Miguel Aidar com camiseta de sua chapa nas eleições

Carlos Miguel Aidar espera retornar à presidência do São Paulo na noite desta quarta-feira, quando ocorrem as eleições no clube. A chapa do candidato da situação, que já foi presidente entre 1984 e 1988, obteve a maioria dos votos nas eleições do conselho realizadas no último dia 5, e acredita nesta vantagem para voltar ao poder.

► Concorra ao livro “Libertadores – Paixão que nos une”

Em conversa exclusiva com a Jovem Pan, Aidar reforçou que o São Paulo será campeão este ano e fez uma proposta: inverter os mandos de campo para ter São Paulo x Corinthians na Arena Corinthians, em 11 de maio.

Depois de provocar o rival dizendo que o novo estádio é inacessível e ver respostas em vídeos e também da boca do ex-vice-presidente corintiano Antônio Roque Citadini, Aidar disse que está feliz com a nova praça esportiva e lançou uma proposta:

“O São Paulo terá problemas para jogar contra o Corinthians no Morumbi por questão de um show [a banda One Direction irá se apresentar no estádio nos dias 10 e 11], então proponho a inversão de mando no primeiro turno, para jogarmos no Itaquerão no dia 11 de maio”.

Segundo o candidato, o São Paulo poderia servir de teste para o novo estádio, e disse que se o Corinthians concordar com a troca da partida da quarta rodada do Campeonato Brasileiro, está à disposição.

Sobre as polêmicas envolvendo os novos estádios da cidade de São Paulo, Aidar cutucou o rival mais uma vez dizendo que “arenas são coisas de circo”, e que espera, com a eleição, aprovar o projeto de cobertura e espaço multiuso para o Morumbi, além de um estacionamento para dois mil carros.

Uma possível parceria com Marco Aurélio Cunha, ex-superintendente de futebol do São Paulo, também foi descartada. Apesar de ter trabalhado com Juvenal Juvêncio nas gestões anteriores, Marco Aurélio fez campanha apoiando o candidato da oposição, Kalil Rocha Abdalla. “Quem sabe um dia, depois que a poeira baixar, mas agora não há menor possibilidade de aproveitamento de qualquer oposicionista, e a explicação é mais do que lógica: criaram-se grupos de apoio dos dois lados, e não posso tirar lugar de quem ajudou para dar espaço a adversários políticos”.