Alisson crê em bom duelo contra Guerrero e pede concentração à Seleção Brasileira

  • Por Agência Estado
  • 15/11/2015 15h18
Alisson ganhou nova chance com Dunga

Novo goleiro titular da Seleção Brasileira, Alisson vai reencontrar o atacante Paolo Guerrero nesta terça-feira, quando Brasil e Peru se enfrentam na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela quarta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O primeiro confronto entre os dois na atual temporada foi na partida entre Flamengo e Internacional, no dia 18 de outubro, pelo Campeonato Brasileiro, e o goleiro levou a melhor. Com grande atuação, ele ajudou o seu Internacional a vencer por 1 a 0, no estádio do Maracanã, no Rio.

“Guerrero é um grande jogador. Sabemos bem do que ele é capaz, não podemos dar espaço. É um atacante de qualidade, com boa finalização. Temos de estar bem concentrados. Assim como eu o conheço, ele também me conhece. Vai ser um bom duelo e temos de estar atento a todos os detalhes. Futebol é definido nos detalhes”, afirmou o goleiro.

Alisson disputará contra o Peru, nesta terça-feira, o seu terceiro jogo consecutivo como titular da Seleção Brasileira. Ele ganhou a disputa com Jefferson depois de o goleiro do Botafogo não ter feito uma boa partida diante do Chile, na abertura das Eliminatórias. No jogo seguinte, contra a Venezuela, o arqueiro do Internacional foi titular e teve atuação segura. Contra a Argentina, na última sexta-feira, voltou a jogar bem.

“É um momento de mudança na Seleção que eu vejo como uma afirmação para mim. Quero aproveitar as oportunidades da melhor maneira possível. Sempre tive o pensamento de estar pronto para quando as oportunidades aparecessem porque a chance não avisa quando vai chegar. Foi assim no Internacional. Eu era o terceiro goleiro e, por motivo de lesão e suspensão, me tornei titular. Aqui na Seleção não foi muito diferente”, disse.

Elogiado pela frieza apesar de ter apenas 23 anos, Alisson disse encarar com naturalidade a pressão de ser titular da Seleção Brasileira. “Goleiro cresce com cobranças desde a base. A gente é muito cobrado a não errar. É difícil chegar à perfeição, mas trabalho forte para chegar o mais perto. Eu me cobro muito também”.