Alonso confessa que se arrependerá de saída da Ferrari se equipe for campeã

  • Por Agencia EFE
  • 09/04/2015 13h34
Fernando Alonso desmente histórias após acidente em Barcelona

O piloto espanhol Fernando Alonso (McLaren) respondeu em Xangai, onde neste final de semana será disputado o Grande Prêmio da China de Fórmula 1, à primeira vitória do alemão Sebastian Vettel com a Ferrari na Malásia, na etapa anterior.

“Entendo as perguntas”, disse aos jornalistas, “a Ferrari ganha na Malásia e fiquei fora do Q2, portanto é uma pergunta muito fácil, mas veremos o que acontece em novembro: se ganharem o campeonato, (deixar a escuderia italiana) foi uma má decisão, mas se acabarem em segundo, foi uma decisão muito boa”.

Alonso, que em 2010 ganhou no Bahrein sua primeira corrida com a Ferrari, esclareceu hoje que estava cansado de não conseguir ganhar campeonatos com sua anterior equipe.

Nos cinco anos que passou em Maranello, no final de cada um deles dizia para si mesmo. “Acabei em segundo três vezes e já não queria acabar em segundo outra vez, portanto agora estou no lugar certo”.

O problema principal com a Ferrari, lembrou, foi que embora “tentamos durante três anos, não era possível manter o impulso” do carro. “Mas não é só isso, há outros aspectos pelos quais a Mclaren Honda é mais atrativa para mim atualmente”.

Sobre se a vitória de Vettel em Sepang suporá ou não o início do renascimento da Ferrari perante mais de um ano de superioridade tecnológica da Mercedes, ou se foi apenas uma vantagem pontual que obtida pelo tetracampeão mundial pelo traçado e o clima caloroso do sudeste asiático, Alonso se mostrou prudente.

“Neste domingo teremos uma outra referência”, comentou, embora sempre seja mais “divertido” para a torcida que haja várias equipes competindo pelo campeonato.

“Agora é preciso ver se foi só uma corrida na qual a Mercedes não rendeu como gostaria, ou se o campeonato vai se desenvolver assim a partir de agora”, afirmou, “vamos ver o que esta corrida e a do Bahrein nos contam”.

O bicampeão asturiano, que lutará neste fim de semana no Grande Prêmio de Fórmula 1 para acabar a corrida como principal “alvo”, comentou, contudo, que entende a emoção de Vettel ao ganhar em Sepang após 686 dias sem uma vitória para a Ferrari.

“É um momento muito especial para qualquer piloto, ganhar com a Ferrari, que é uma lenda e a equipe mais especial da Fórmula 1 na história, provavelmente”, comentou.

“Em meu caso, acho que esses 5 anos foram fantásticos, vivi alguns dos melhores momentos da minha carreira, cheguei a meu melhor nível, conduzindo e compreendendo o esporte”, acrescentou.

Na Ferrari “comecei com a vitória em Bahrein, com minha primeira corrida com a escuderia, e acabei no ano passado competindo junto a outro campeão mundial como Kimi, mas fechei esse ciclo”, do qual “só tenho boas lembranças e boas sensações”.

Agora, com a Mclaren “olho para frente, e estou com uma equipe nova, um projeto novo” que “me faz feliz”, enquanto na Ferrari “já não estava contente”.

De fato, Alonso reconheceu que provavelmente se aposentará nesta escuderia, com a qual aspira voltar ao mais alto lugar antes de parar de competir.

“Comecei com uma Mclaren Honda quando tinha três anos, era uma cópia, com meu pai, e vou terminar com uma Mclaren Honda, mas de verdade, na Fórmula 1, e isso será uma parte da minha vida, com uma grande experiência, com grandes lembranças, e com grandes amizades”, adiantou.

“A vida normal começará nesse dia, quando me aponsentar, e não acho que vocês me verão aqui como diretor”, concluiu.