Andrés diz que “CBF não vive futebol” e critica Del Nero: “nunca comandou futebol na vida”

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2016 16h04
Reprodução/Facebook Ex-presidente corintiano criticou a CBF

O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, afirmou, em entrevista exclusiva à Jovem Pan, que “o problema da CBF e da Seleção Brasileira é muito maior que um treinador”. Desafeto do atual presidente da entidade máxima do futebol brasileiro, Marco Polo Del Nero, Sanchez disse ainda que “a CBF não vive futebol”.

“A Seleção não é o treinador. O treinador pode cobrar o jogador tecnicamente, fisicamente, taticamente. Fora do campo, não é o treinador que tem que cobrar. Quem tem que cobrar é a direção, é a presidência. E, infelizmente, a CBF não vive futebol. CBF que eu digo, quem está no comando. E isso fica difícil. (…) Agora, não é tirando o Dunga e pondo o Tite, que acabaram os nossos problemas. Não é tirando o Gilmar e pondo o Edu (Gaspar), que acabaram nossos problemas. Quem tem que comandar é o presidente da CBF. Infelizmente ele não comanda futebol, até porque ele nunca comandou na vida”, disparou o ex-diretor de seleções da CBF.

Sanchez falou também que não era a favor da saída do técnico Dunga, uma vez que ele já estava no comando da Seleção Brasileira. Mas também não apoiava a volta dele ao comando do Brasil.

“Eu entendo que o Dunga não devia nem que ter sido contratado. Mas a partir do momento que foi contratado, espera acabar o ciclo. Ou você acha que tem uma varinha mágica, que o Tite vai lá e vai solucionar o problema? Deus queira que não aconteça, mas daqui cinco ou seis jogos, talvez todo mundo que está aqui elogiando o Tite, esteja criticando ele. Então é difícil”, afirmou o dirigente, que completou dizendo que a “imprensa precisa mudar o seu conceito”.

Sobre o Corinthians e a rejeição do treinador recém-anunciado, Cristóvão Borges, o ex-presidente do clube do Parque São Jorge relembrou a chegada de Tite ao time da capital, além de dar créditos a Mano Menezes pela montagem da “estrutura” atual.

“Pega o Google, entra lá e vê quando eu trouxe o Tite o que falavam do Tite. Muito pior do que falam hoje do Cristóvão Borges. Unanimidade não existe. Eu entendo e respeito a opinião de todo mundo, mas quem decide é o presidente. O treinador tem que se encaixar na estrutura, e não a estrutura no treinador. Então, o Tite se encaixou na estrutura, foi um dos que ajudou a montar, mas quem montou a estrutura toda, no começo, foi o Mano (Menezes). A estrutura que eu digo, fora campo, fora tática. Agora, é normal. Se daqui cinco, sete, oito jogos, não tivermos bons resultados com o Cristóvão, as críticas serão maiores, e se estiver bom, vão ser só elogios. Infelizmente, futebol é resultado”, afirmou.

O atual presidente do Corinthians confirmou, também em entrevista exclusiva à Jovem Pan, que Cristóvão Borges começa os trabalhos no clube já nesta segunda-feira. O time enfrenta neste domingo o Botafogo, na Arena Corinthians, em Itaquera.