Andrés Sanchez afirma que se arrepende de ter feito Arena para a Copa

  • Por Jovem Pan
  • 07/05/2017 14h28

Andrés Sanchez afirmou também que não tem medo da Lava-Jato: "tomo banho todo dia"

Andrés Sanchez afirmou também que não tem medo da Lava-Jato: "tomo banho todo dia"

A Arena Corinthians teve neste domingo (7) a sua primeira decisão de título e ao 100º jogo do Alvinegro em casa. Principal responsável pela sua construção, o ex-presidente do Corinthians André Sanchez afirmou em entrevista exclusiva à reportagem da Jovem Pan que se arrepende de ter aceitado que o estádio em Itaquera tenha se tornado palco da abertura da Copa do Mundo em 2014.

“Em todas as reuniões que eu participei, sempre falamos que o Corinthians iria participar da construção com 400 milhões, mais os juros. Aí virou estádio de Copa do Mundo, porque a prefeitura e o governo do estado exigiram. Eu me arrependo de ter deixado fazer para a Copa do Mundo, mas de ter feito a Arena, jamais. Não só o Corinthians precisava, mas a cidade de São Paulo precisava de um estádio assim”, afirmou Andrés.

Apesar das investigações da Polícia Federal indicarem o contrário, Sanchez negou que dinheiro vindo de corrupção tenha sido utilizado na construção da Arena e afirmou que não tem medo da Lava-Jato.

“Primeiro, eu tomo banho todo dia, não tenho problema com lava jato. Segundo, todas as obras da Odebrecht nos últimos 20 anos estão sendo investigadas. A Arena Corinthians, apesar de ser uma obra privada, está, estava ou dizem que é investigada. Não tenho perigo nenhum. Já disse 500 mil vezes, se houve alguma coisa de errado aqui o Corinthians é vítima”, declarou o ex-presidente, que também cumpre o mandato de Deputado Federal pelo PT-SP.

Contrariando especulações, o ex-presidente disse não ter interesse de voltar a comandar o Corinthians após o fim do mandato de Roberto de Andrade, em 2018. Além disso, Andrés Sanchez rejeitou que tenha qualquer influência ou participação na política do clube.

“Eu espero que não, estou relutando para não ser. Não vamos ser hipócritas, é óbvio que meu nome ainda é forte dentro do Corinthians e tudo que eu falo repercute muito mais. Mas eu sempre respeitei os presidentes pós minha saída. Quando me chamam, dou minha opinião. Mas não participo, não dou palpite, não fico criticando. Pelo contrário, no que eu puder ajudar, eu ajudo”.

Por fim, Andrés Sanchez comentou o que espera da final deste domingo, em que o Corinthians pode levantar a taça de campeão paulista pela 28ª vez em sua história: “hoje somos zebras, quarta força, quinta força de São Paulo. Chegamos à final com a luta dos jogadores e o apoio da torcida. Corinthians é sempre zebra, time médio, e vamos tentar ganhar”.