Após acabar com sequência de Lorenzo, Rossi tenta quebrar jejum na Alemanha

  • Por Agencia EFE
  • 09/07/2015 18h04

Sachsenring (Alemanha), 9 jul (EFE).- O italiano Valentino Rossi chega a Sachsenring com moral de ter cruzado a linha de chegada em primeiro em Assen (Holanda) há duas semanas, quebrando a série de quatro vitórias de seu companheiro de equipe na Yamaha, o espanhol Jorge Lorenzo, e no próximo domingo tentará vencer o Grande Prêmio da Alemanha de MotoGP pela primeira vez desde 2009.

Valentino sabe bem o que é triunfar em território alemão. O heptacampeão já subiu ao ponto mais alto do pódio seis vezes no país, quatro delas na categoria principal. No entanto, a última vez foi em 2009. Desde então, foram cinco vitórias da Honda, três com Dani Pedrosa e duas com Marc Márquez, ambos também da Espanha.

Após ter levado a melhor em uma disputa emocionante contra Márquez no GP da Holanda, o italiano foi a 163 pontos, dez a mais que Lorenzo. O terceiro colocado, o também italiano Andrea Iannone (Ducati), aparece com distantes 103 pontos.

Na disputa interna da Yamaha, Rossi acredita que Lorenzo, que teve problemas no acerto da moto em Assen e foi terceiro colocado, será mais competitivo em Sachsenring.

“Tenho certeza de que Jorge voltará mais forte. Com isso, é ainda mais importante trabalhar bem neste fim de semana. Depois deste fim de semana, teremos uma pausa que será importante antes da segunda parte do campeonato”, disse o multicampeão.

No entanto, o vencedor das temporadas de 2010 e 2012 demonstrou certo pessimismo antes da corrida na Alemanha, onde nunca triunfou. “Nunca venci na Alemanha, e estou ansioso para subir ao degrau mais alto pelo menos uma vez. Mas, na teoria, Sachsenring é uma pista pior para nós do que Assen”, considerou.

Se a temporada vem sendo dominada pela Yamaha, que venceu sete das oito provas disputadas, as características do circuito alemão e as estatísticas representam uma certa superioridade da Honda. Em busca de revanche contra Rossi, Márquez almeja o terceiro triunfo em três GPs que disputou em Sachsenring, onde, além disso, foi pole position duas vezes.

Em tese, a briga pela vitória será entre Honda e Yamaha. Na sequência, Suzuki, Yamaha Tech 3 e LCR Honda também brigam para estar no pódio. A primeira teve nítida melhora com um novo motor, mas ainda precisa de um grande resultado para convencer. A melhor posição da equipe em seu retorno à MotoGP foi a sétima, duas vezes com Aleix Espargaró e uma com Maverick Viñales.

Já a Foward terá o desfalque do alemão Stefan Bradl, que sofreu uma fratura do escafoide da mão direita e dará lugar ao italiano Claudio Corti.

Após ter Vencido a segunda prova seguida, o francês Johann Zarco (Ajo Kalex) continua firme na liderança na Moto2, com 45 pontos de frente para o espanhol Tito Rabat (Marc VDS Kalex), atual campeão e segundo colocado no ano. O ítalo-brasileiro Franco Morbidelli (Italtrans Kalex) aparece em sétimo.

Na Moto3, o britânico Danny Kent (Leopard Honda) foi terceiro em Assen e continua dominando a categoria, com 165 pontos, contra 108 do vice-líder, o italiano Enea Bastianini (Gresini Honda). EFE