Após aporte de R$ 2,9 bi, ministro garante segurança no Rio 2016

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2016 08h04
Brasília - O ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, participa da cerimônia de posse de novos secretários (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)Alexandre de Moraes

 O ministro da Justiça Alexandre de Moraes avalia que verba federal pedida pelo Rio de Janeiro será suficiente para manter o funcionamento das polícias durante os Jogos Olímpicos.

Nesta semana, policiais civis fluminenses ameaçaram paralisação e fizeram protestos na sede da corporação e também no aeroporto do Galeão. Eles reclamam de fatores como o parcelamento de salários, cortes no orçamento e falta de materiais básicos como água e papel nas delegacias.

Moraes afirma que os recursos de emergência pedidos pelo Rio de Janeiro vão garantir que os Jogos Olímpicos sejam seguros: “Com a edição da Medida Provisória na semana passada pelo presidente Michel Temer, liberando recursos extraordinariamente ao Rio de Janeiro de R$ 2,9 bilhões, exatamente para que haja o equacionamento de todas essas pendências, de todos esses problemas ligados à segurança pública no Rio de Janeiro, em especial em relação à Polícia Civil e à Polícia Militar, à questão de pagamentos atrasados, de vencimentos. Isso já está equacionado”.

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, decretou calamidade pública no estado no dia 17. O motivo não foi nenhum desastre, mas a “grave crise financeira” que afeta a economia fluminense e pode ter consequência nos Jogos Olímpicos.

O decreto abriu caminho para que a União pudesse liberar quase R$ 3 bilhões imediatamente. O dinheiro será usado para pagar os salários atrasados dos policiais e outros funcionários públicos, além de concluir as obras da linha 4 do Metrô.

Reportagem: Tiago Muniz