Após bater líder, Muricy celebra São Paulo “forte e consistente”

  • Por Jovem Pan
  • 15/09/2014 08h02

Técnico poupará jogadores no confronto contra o Criciúma pela Copa Sul-Americana

Muricy elogia empenho de do time: “precisam sair mortos de campo”

Após ver o São Paulo desbancar o líder Cruzeiro por 2 a 0 dentro do Morumbi, o técnico Muricy Ramalho exaltou a qualidade técnica do duelo, disse ainda ver o time celeste como melhor do país, mas garantiu seu time na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Questionado ainda sobre os problemas políticos que o clube vive, o treinador se esquivou e pediu apenas para que o desentendimento entre o atual e o ex-presidente do Tricolor não chegue ao centro de treinamento do clube.

Com a vitória, o São Paulo deixou a vantagem dos mineiros em apenas quatro pontos. Ainda assim, Muricy fez questão de ressaltar a força do líder do torneio. “A nossa chance, se quisesse ter o sonho do título, era hoje, apesar de que ainda falta muito campeonato. Esse time [Cruzeiro] é e continua sendo o melhor do Brasil. Fizemos um bom jogo, marcamos e respeitamos o rival. Merecemos o resultado”, avaliou.

Sem sofrer muitos sustos, o São Paulo venceu com autoridade dentro do Morumbi. Para seu treinador, o time conseguiu reagir durante a competição. “Foi uma grande partida, era a nossa oportunidade de diminuir e conseguimos. Temos de continuar fazendo a nossa parte. Começamos mal no torneio, chegaram jogadores, saíram outros. O São Paulo é um time forte e consistente. Isso dá confiança”.

Sobre o “quarteto mágico” [formado por Kaká, Ganso, Kardec e Pato], Muricy evitou celebrar apenas os medalhões e ressaltou a importância do restante do time. “As pessoas e os jogadores que estão lá estão gostando de fazer o que estão fazendo. A nossa zaga hoje jogou muito. Quando se fala em quarteto, eles mesmo não acham isso. No nosso dia a dia cobramos muito deles porque os outros jogadores estão fazendo a diferença também”, opinou.

Na próxima quarta-feira (17), o São Paulo retorna aos gramados para enfrentar o ameaçado Coritiba, no Couto Pereira. Muricy não poderá contar com Kaká, que recebeu terceiro cartão amarelo no duelo diante dos mineiros. “Sabemos que vamos perder o Kaká em alguns jogos. Daqui a pouco vai chegar a planilha e ele vai ser o que mais correu. São sempre os mesmos que superam dez quilômetros. Denilson, Souza e Kaká. Ele se doa muito, estava marcando o lateral de 20 anos. Vamos ter de administrar também porque senão vamos arrebentar com ele. Ele está correndo demais e ele não se poupa, mas vamos dar um tempo. Faz falta como jogador e como líder dentro de campo, ele está ajudando muito, mas temos jogadores como Michel que podem entrar nessa posição”, declarou. 

Apesar da boa fase do time no torneio, a diretoria são-paulina não está exatamente em harmonia. Carlos Miguel Aidar [atual presidente] e Juvenal Juvêncio [ex-presidente] vem batendo boca pela imprensa nos últimos dias. Muricy não quer esse problema rondando os gramados. “Isso é com eles lá, problema político. Só não quero que venham no CT. Está tudo determinado, certinho, organizado, planejado. Deixa andar como está. É um relógio. Às vezes o cara quer mexer no relógio. Fora eu respeito, é uma coisa deles. Nós, como empregados, não podemos nos meter”, finalizou.