Após fiasco de público, São Paulo promete agir para encher Morumbi no clássico

  • Por Estadão Conteúdo
  • 27/02/2015 08h13
São Paulo goleia o Danubio por 4 a 0; veja imagens

Problemas no sistema de compra de ingressos e o valor cobrado de R$ 120 pelos bilhetes avulsos esvaziaram o Morumbi na estreia do São Paulo pela Copa Libertadores e deixaram o clube em alerta. A diretoria estabeleceu como prioridade consertar as falhas e promete que tudo estará normalizado até o próximo jogo do time em casa, contra o Corinthians, dia 8 de março, pelo Paulistão.

O jogo com o Danubio, na quarta-feira, teve o pior público da equipe como mandante na Libertadores desde 1992. Os 16.889 pagantes ficaram bem abaixo da expectativa, que era de superar 30 mil torcedores.

O time também sentiu as arquibancadas vazias. O técnico Muricy Ramalho criticou os preços elevados e lembrou que em 2013, quando o São Paulo lutava contra o rebaixamento no Brasileiro, a promoção com ingressos de até R$ 2, para os sócios-torcedores, alavancou a presença no estádio para ajudar a equipe a permanecer na Série A.

“Claro que no futebol tem a questão da arrecadação, mas temos que olhar com carinho para esses preços. O torcedor é sempre quem sofre por nossa causa”, disse o treinador.

O clube admitiu as falhas no sistema de compras e recebeu reclamações de torcedores que levaram até quatro horas para concluir a operação e de outros que tiveram o valor debitado mais de uma vez no cartão de crédito. A estimativa é que 20% das pessoas que tentaram comprar tiveram algum problema.

Segundo o gerente de marketing do clube, Ruy Maurício Barbosa, duas grandes falhas causaram os transtornos. Uma delas se deu na validação da compra pelo cartão de crédito e a outra foi no reconhecimento do cadastro dos sócios-torcedores.

Os contratempos se originaram pela troca recente da empresa responsável pelos ingressos e controle de acessos. A partida com o Danubio foi a segunda desde que a companhia portuguesa Smartmove tomou conta do processo e a adequação do sistema não ficou pronta.

A pressa dos tricolores para acionar as compras pelo site em vez da tradicional ida à bilheteria se deu por uma estratégia do clube de priorizar o programa de sócio-torcedor.

Os participantes dessa modalidade poderiam comprar entradas para os três jogos do São Paulo no Morumbi pela fase de grupos da Libertadores por um pacote vendido a R$ 100, ou seja, por volta de R$ 33 para cada partida. Já o preço para vendas avulsas era de R$ 120 por jogo.

“A torcida tem de entender que não é R$ 120. Você pode comprar por cerca de R$ 30. É uma questão dele entender e entrar para o programa de sócio-torcedor”, explicou o gerente.

A estratégia do clube é usar a Libertadores como ferramenta para ampliar o número de adesões ao programa. O São Paulo tem cerca de 51 mil sócios e a meta é chegar ao dobro até o fim do ano. “O futebol não é algo barato. O torcedor tem de enxergar isso. Se você olhar o que o São Paulo pratica para o que outros times fazem, é algo bem em conta”, comparou.

O número de falhas surpreendeu o clube, que trabalha para que tudo esteja resolvido até o clássico com o Corinthians, pelo Campeonato Paulista.

Queixas

Todas essas alterações, porém, não agradaram aos torcedores. Os problemas no site e os altos valores de ingressos causaram reclamações em frente ao Morumbi antes do jogo. Alguns torcedores levaram faixas com a frase: “R$ 120 é roubo”. A forte chuva no dia também contribuiu para o recorde negativo de bilheteria.