Após primeira inspeção, Fifa se diz “satisfeita” com estádios da Rússia

  • Por Agência EFE
  • 17/10/2014 19h17

O presidente da FifaJoseph Blatter

A Fifa se mostrou satisfeita nesta sexta-feira durante sua primeira visita de inspeção aos estádios e instalações da Copa do Mundo que a Rússia organizará em 2018.

A delegação de inspeção, que permanecerá na Rússia até a próxima semana, visitou hoje a Kazan Arena, estádio de 45 mil assentos do Rubin, vencedor do Campeonato Russo em 2008 e 2009, e que receberá também jogos da Copa das Confederações em 2017.

O chefe do comitê de inspeção, Christian Unger, assegurou que o estádio, que foi inaugurado durante a Universíade de 2013, é “único” por seu aproveitamento do espaço.

“Esta é a primeira visita e as inspeções transcorrerão com regularidade. Mas minha primeira impressão é que é um estádio fantástico”, disse Unger à imprensa local.

Unger já havia minimizado na véspera os atrasos na construção do novo estádio do Zenit de São Petersburgo, de 66 mil lugares, projeto que esteve envolvido em várias polêmicas desde que as obras começaram em 2007.

“Não há grandes problemas. Não tenho dúvida alguma que o estádio será entregue dentro do prazo previsto. Por nossa parte, não há nenhuma inquietação ou temor”, comentou.

Apesar de estar em construção, o estádio da antiga capital imperial russa foi eleito recentemente para receber a Eurocopa de 2020, que se somará à Copa das Confederações ao Mundial.

No sábado, o destino da delegação será o estádio de Sochi, que acolheu as cerimônias de inauguração e encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno no último mês de fevereiro.

O ponto final da visita será no domingo e na segunda-feira em Moscou, que contará dentro de quatro anos com dois estádios: o Luzhniki, que receberá a final e está sendo remodelado, e o do Spartak, sede de uma das semifinais da Copa e que foi inaugurado em setembro.

Além dos estádios, os especialistas da Fifa e do comitê organizador local inspecionarão os preparativos em matéria de segurança, transporte, hotelaria e comunicações.

Após os antecedentes do Brasil, a Fifa permitiu à Rússia reduzir a capacidade dos estádios da Copa de 45 mil a 35 mil assentos.

“Não estão nos fazendo um favor, mas, após analisar a situação no Mundial do Brasil, ficou claro que nem todos os estádios estavam cheios e existe o temor que, após o campeonato, esses estádios não sejam aproveitados”, declarou recentemente o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Além disso, a Fifa também não reduzirá o número de cidades-sede, que atualmente chega a 11: Moscou, São Petersburgo, Kazan, Sochi, Yekaterimburgo, Nizhni Novgorod, Volgogrado, Samara, Rostov do Don, Kaliningrado e Saransk.