Após retirar suspensão, Fiba avisa à CBB que “próximas semanas serão cruciais”

  • Por Estadão Conteúdo
  • 22/06/2017 17h47
Basquete brasileiro foi suspenso pela Fiba devido aos problemas administrativos enfrentado pela CBB em 2016

O Comitê Executivo da Federação Internacional de Basquete (Fiba) revelou nesta quinta-feira (22), em comunicado oficial, ter condicionado o retorno do Brasil às competições internacionais a uma série de práticas que deverão ser adotadas pelos dirigentes e que serão monitoradas nas próximas semanas.

A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) havia sido suspensa pela entidade em novembro de 2016 por problemas administrativos e por não cumprir diversas demandas traçadas pela Fiba, mas a restrição foi retirada nesta quarta.

Embora tenha reconhecido os esforços feitos pela CBB – diz a nota, sem citar quais medidas devem ser cumpridas -, a Fiba sublinhou que as próximas semanas serão cruciais para o futuro da confederação brasileira, que deverá enviar documentos e realizar ações. Caso as determinações não sejam respeitadas, a suspensão poderá retornar.

Por outro lado, os representantes da Fiba garantiram que irão continuar apoiando as reformas necessárias nos aspectos financeiro, de governança e esportivos que devem ser implementadas pelo comando do esporte no Brasil para evitar que seleções e clubes sejam atingidos.

A Fiba também ressaltou que a “família do basquete brasileiro” deve se manter unida no sentido de garantir a presença internacional do País em médio e longo prazo.

O primeiro desafio da seleção principal no retorno às competições é a Copa América, entre os dias 25 de agosto e 3 de setembro, que será disputada em três países: Argentina, Colômbia e Uruguai.

Como o sorteio para o torneio foi feito durante a vigência da suspensão, o Grupo A – formado por Porto Rico, México e Colômbia – possui uma vaga. Sem o Brasil, o posto seria ocupado pelo Paraguai, sexto colocado no último Campeonato Sul-Americano.