Após Rússia, Bulgária é proibida de competir no Rio-2016 por causa de doping

  • Por Agência Estado
  • 19/11/2015 17h41

O americano naturalizado brasileiro Patrick Mendes foi pego no antidoping nos Jogos Pan-Americanos

Patrick Mendes

Depois da Rússia no atletismo, mais um país está proibido de participar dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, em uma modalidade específica, por conta de seguidos casos de doping. Nesta quinta-feira, o Comitê Executivo da Federação Internacional de Levantamento de Peso (IWF) decidiu vetar a participação da Bulgária na próxima Olimpíada.

Em agosto, 11 atletas da seleção da Bulgária foram pegos em exame antidoping realizado num treinamento para o Campeonato Europeu. Oito homens e três mulheres foram punidos pelo uso do esteroide anabolizante stanozolol. Sete atletas pegaram nove meses de suspensão, enquanto outros quatro foram punidos por 18 meses, entre eles Demir Demirev, que já foi campeão europeu.

No entender da IWF, há um doping sistemático entre halterofilistas da Bulgária e, assim como acontece com a Rússia no atletismo, optou-se por não dar o benefício da dúvida para nenhum atleta búlgaro. Nenhum deles poderá participar da Olimpíada. A IWF, entretanto, não informou se a federação está suspensa, como acontece no caso russo.

Também por conta de doping sistemático, a Romênia perdeu uma vaga na Olimpíada – no levantamento de peso, o número de credenciais por país é definido a partir de um ranking levando em conta os resultados dos últimos Mundiais e cada federação indica como usará essas vagas. 

Já Honduras, Panamá, Guatemala, Serra Leoa e Tajiquistão foram proibidos de participar do Mundial de Houston, que começa nesta sexta-feira nos Estados Unido. Os atletas destes países não informaram informações de seus paradeiros para o controle do passaporte biológico.