Após tumulto, Paulo Nobre suspende venda de ingressos e explica caso

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2014 22h10

O presidente do PalmeirasPaulo Nobre

Depois dos incidentes de depredação e tumulto que aconteceram nos arredores do Palestra Itália, durante a venda de ingressos para o clássico de domingo contra o Santos, o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, concedeu uma entrevista coletiva na noite desta quinta-feira (20) para esclarecer alguns pontos do ocorrido.

► Confira a tabela do Campeonato Paulista

O mandatário resolveu anunciar a suspensão da comercialização de entradas para o duelo que será disputado na Vila Belmiro e explicou as informações que sabe até o momento.

“Hoje (quinta-feira) de manhã, como é de conhecimento de vocês, aconteceu um fato lamentável na sede do Avanti. Para deixar claro o que aconteceu, eu ouvi várias versões. Foram três vândalos que ficaram decepcionados por não poderem comprar mais do que um ingresso. Além do dele, queriam mais 90 ingressos”, disse Paulo Nobre. “Os funcionários deixaram claro que existia uma regra. Os torcedores mostraram o dinheiro, mas os funcionários disseram que não era questão de pagamento, e sim uma regra. A venda foi negada, e aí eles quebraram a mesa e até agrediram um funcionário. Um caso lamentável e que está sendo apurado pela polícia. Atitudes muito enérgicas serão tomadas, isso é fato. Ocorreu um vandalismo, um crime nas dependências do Palestra Italia. Os computadores foram quebrados e uma pessoa foi agredida. Acredito na polícia e na justiça. Uma vez apurado, os culpados serão punidos”, prosseguiu.

Paulo Nobre também fez questão de se desculpar com os sócios Avanti após os lamentáveis incidentes.

“Quero me desculpar com os sócios Avanti que, eventualmente, compareceram e não conseguiram comprar o seu ingresso. O sistema foi destruído e ficou inviável realizar as compras de ingressos. Desde o início da minha gestão, eu sempre deixei claro que o sócio Avanti seria privilegiado. Ninguém é obrigado a ser sócio Avanti, porém, se quiser usufruir de todos os planos, vantagens, descontos e facilidades, precisa ser sócio. Não é obrigado, mas não terá as vantagens. Da mesma maneira, quem quiser a piscina do Palmeiras, tem de ser sócio do clube”, falou o dirigente.

Por fim, o presidente do alviverde de Palestra Itália garantiu que a venda de ingressos será suspensa e classificou como “leviano” creditar a autoria do tumulto às torcidas organizadas.

“Os ingressos e o dinheiro não foram roubados. Os ingressos estão com o Palmeiras, tanto como o dinheiro. A princípio, não serão comercializados porque o sistema do Avanti foi totalmente prejudicado. Sobraram ingressos, que não foram muitos, mas não irão para a bilheteria. Não houve roubo, houve agressão a um funcionário do Avanti. Pelo que foi apurado, eles queriam quebrar o sistema para não ter mais vendas. Eles estão esperando que esses ingressos irão para a bilheteria, e deixo claro que não vão”, assegurou.

“Não estamos aqui tratando do tema torcida organizada. Está sendo apurado quem foram os irresponsáveis. Seria leviano da minha parte falar que os três torcedores são de torcidas organizadas, não quero misturar os assuntos. Ser presidente do Palmeiras causa uma parte de glamour e outra gigantesca de trabalho. Tem de abrir mão da família, acaba não tendo mais lazer e tudo mais. Problemas com torcedores é apenas mais um dos milhares que temos”, finalizou Paulo Nobre.