Apresentado no São Paulo, Kardec diz ter se sentido ofendido por declarações de Nobre

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2014 13h27
Alan Kardec é apresentado no São Paulo

Após saída polêmica do Palmeiras, Alan Kardec foi apresentado nesta terça-feira (13) pelo São Paulo. Antes mesmo de falar sobre seu novo desafio, o centroavante foi bombardeado por questões sobre seu ex-clube. O artilheiro criticou a forma como a diretoria palmeirense conduziu sua renovação, revelou que foram os recuos nas negociações que o fizeram optar por outro clube e rejeitou que a parte financeira tenha pesado na sua saída do alviverde. Kardec ainda disse que a longa indefinição sobre seu futuro afetou o aspecto físico e psicológico, com o atacante chegando até a perder quatro quilos, sem conseguir comer por nervosismo. Ele também disse que se sentiu muito ofendido com as declarações do presidente Paulo Nobre, que afirmou que o atleta, antes de acertar com o Palmeiras, estava no ostracismo. 

Questionado sobre quem seria o grande culpado pela saída do Palmeiras, Kardec evitou falar em nomes. “É natural que alguém queira achar um culpado. Cabe a cada um pensar de alguma maneira. Tem pessoa que pensa com a razão e pessoa que pensa com emoção. Eu fiz a minha escolha”. O atacante lamentou a forma como a cúpula alviverde conduziu o caso. “As pessoas que cuidam do Palmeiras poderiam ter tido mais carinho no negócio”, acrescentou, após revelar que a diretoria do Palmeiras ofereceu números a seu pai e logo depois voltou atrás no proposto. 

Ele rejeitou que a decisão tenha sido tomado com base na parte financeira. “No final da história, infelizmente alguém terá de ser o culpado. Se eu aceitasse o que o Palmeiras falou que ia cobrir, seria mercenário. Uma palavra vale mais que um papel assinado. A partir de um determinado que nos apalavramos com o São Paulo, não tinha volta”. O agora camisa 14 Tricolor lamentou a novela pelos torcedores de seu ex-clube e negou que o São Paulo tenha sido antiético no caso. “Fico com o aperto no coração pelos torcedores palmeirenses. Inúmeras vezes tivemos a oportunidade de fechar o negócio, mas deram mais uma vez para trás, vieram com o valor mais baixo. Não houve conversas com o São Paulo durante as negociações com o Palmeiras”, assegurou o atacante, que também negou que o sistema de contrato de produtividade tenha sido proponderante na sua escolha pelo Tricolor.

Ao final da negociação, o Palmeiras rompeu relações com o São Paulo. Apesar disso, Kardec disse que cogita comemorar um eventual gol sobre o ex-clube. “Depende da circunstância da partida. Tenho muito respeito com o torcedor palmeirense, mas também tenho que ter com os torcedores do São Paulo”, afirmou.

Nova casa 

Tido como grande contratação, Kardec disse esperar corresponder com as expecatitivas da torcida Tricolor. O centroavante, que já atuou com o técnico Muricy Ramalho no Santos, se colocou à disposição para atuar em diferentes posições no gramado. “Fico feliz de poder trabalhar com o Muricy. Não tenho preferência por posições. Escolhi o São Paulo pela estrutura e pelo elenco. Também pesou a  seriedade das pessoas aqui e pelas condições de conquistarmos títulos”, explicou.

Ao final da entrevista coletiva, Carlos Miguel Aidar, presidente são-paulino, brincou com o novo reforço ao pergunta se ele faria o mesmo número de gols de Luis Fabiano ao final de 2014. Cauteloso, Kardec elogiou o atual titular do time de Muricy Ramalho. “Complicado, presidente. Principalmente por se tratar do Luis. Fantástico, faz muitos gols. Não sei dizer se farei mais ou menos. Se terminar igual, fica bom para todos. Independente de quem faça gols, o importante é ajudar o São Paulo”, finalizou.

Impossibilitado de atuar antes da Copa do Mundo, Alan Kardec treinará com o grupo são-paulino até a pausa do Mundial. O centroavante deve estrear diante do Bahia, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena Fonte Nova, no dia 17 de julho.