Árbitro fica trancado por 4 horas em estádio turco por não apitar pênalti

  • Por Agência EFE
  • 29/10/2015 17h39
O árbitro Çagatay Sahan só foi liberado após intervenção de Recep Tayyip Erdogan

O presidente do Trabzonspor, clube da primeira divisão turca, manteve um árbitro trancado no estádio Hüssein Avni Aker após uma partida porque ele não apitou um pênalti a favor de sua equipe.

O juiz só foi liberado após uma intervenção do presidente do país, informa nesta quinta-feira o jornal Hürriyet.

O árbitro, Çagatay Sahan, e seus ajudantes ficaram trancados por quatro horas no estádio de Trabzon, após apitar a partida entre Trabzonspor e Gaziantepspor, que terminou com empate por 2 a 2.

O juiz não apitou um pênalti a favor do Trabzonspor na prorrogação, o que causou a indignação dos jogadores e da torcida local.

Informado sobre o assunto, o presidente do clube, Ibrahim Haciosmanoglu, ligou de Istambul para o estádio e exigiu que não deixassem o árbitro sair até que ele chegasse ao local, prometendo que ia tomar um avião privado.

Os responsáveis do estádio então tracaram a equipe de árbitros em uma sala, impedindo os mesmos de deixar o recinto.

Depois, Haciosmanoglu chamou a emissora de televisão “A Spor” para se queixar ao vivo da atuação do árbitro, com expressões como: “Se for preciso morrer, morreremos como homens, mas nunca viveremos como mulheres”, reafirmando que o árbitro não deveria abandonar o local até que ele chegasse.

Quatro horas mais tarde, uma ligação telefônica do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, conseguiu acalmar o empresário, que finalmente deu ordem de permitir a saída dos árbitros.

O Trabzonspor ocupa atualmente a nona posição no Campeonato Turco, mas historicamente é a quarta equipe mais bem-sucedida da competição.

O ex-árbitro Ahmet Çakar, um dos mais prestigiados da Turquia, opinou ao jornal Hürriyet que Haciosmanoglu tinha feito “as declarações mais irresponsáveis e mais perigosas da história do futebol”.