Arsenal de Sarandí e Vélez Sarsfield duelam por título da Supercopa Argentina

  • Por Agencia EFE
  • 30/01/2014 17h36

Buenos Aires, 30 jan (EFE).- O ano de 2014 no futebol argentino será aberto oficialmente nesta sexta-feira, com duelo entre Arsenal de Sarandí e Vélez Sarsfield, válido pela segunda edição da Supercopa Argentina, que será disputado no estádio Juan Gilberto Funes, em San Luis.

Primeiro campeão da competição, que envolve o vencedor da super final do Campeonato Argentino da temporada anterior e o da Copa da Argentina, o Arsenal busca levantar novamente o caneco, depois de ter batido o Boca Juniors nos pênaltis em San Fernando del Valle de Catamarca.

O Vélez, por sua vez, quer dar início a uma nova era com o pé direito, já que agora a equipe passa a ser comandada por José Flores, que substitui Ricardo Gareca, que estava no cargo de técnico desde 2009.

Com relação aos elencos que disputaram o Torneio Inicial, no segundo semestre do ano passado, os dois times tiveram poucas mudanças. O Arsenal contratou o volante Franco Zuculini, que estava sem clube desde que o saiu do Zaragoza. O reforço, no entanto, deverá começar no banco de reservas.

O rival, além de ter trocado o técnico, só perdeu jogadores. O meia Federico Insúa acertou com o Independiente, que disputa a segunda divisão do Argentino. Já os atacantes Ezequiel Rescaldani e Jonathan Copete, acertaram com Málaga e Independiente Santa Fé, respectivamente.

Para este ano está mantido o regulamento da edição inaugural da Supercopa, ou seja, caso haja igualdade no placar nos 90 minutos regulamentares, a decisão acontecerá através de cobranças de pênaltis.

None

Prováveis escalações:.

Arsenal: Campestrini; Nervo, Echeverría, Braghieri e Pérez; Carrera, Zaldivia, Marcone e Aguirre; Caraglio e Furch. Técnico: Gustavo Alfaro.

Vélez: Sosa; Cubero, Domínguez, Tobio e Papa; Allione, Romero, Canteros e Cabral; Zárate e Pratto. Técnico: José Flores.

Estádio: Juan Gilberto Funes, em San Luis (Argentina).

Árbitro: Fernando Rapallini, auxiliado por Ernesto Uziga e Diego Romero. EFE