Ataíde diz que espera Sabella até segunda e revela que Milton Cruz pode ser efetivado

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2015 11h50

O vice-presidente de futebol do São Paulo explicou a saída de Muricy Ramalho

Ataíde Gil Guerreiro

Em entrevista à Rádio Jovem na manhã deste sábado (18), o vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro afirmou que aguarda uma resposta de Alejandro Sabella até a próxima segunda-feira e revelou, ainda, que, caso o argentino não aceite o convite para assumir o São Paulo, Milton Cruz passa a ser seu preferido para o cargo.

“Temos que esperar segunda-feira. Não recebi nenhum comunicado do Sabella, mas o empresário disse que entraria em contato na segunda-feira. Não quero incomodá-lo muito”, disse o dirigente.

Ataíde reforçou que o São Paulo não está sendo tratado como uma segunda opção pelo treinador argentino, e disse que a opção por esperar se dá por perceber que Sabella se sentiu balançado com o convite: “Como não é pra esperar? Estou tirando ele do projeto de vida dele. Ele tinha um projeto, apareceu o São Paulo e ele começou a tremer na base. Embora o objetivo dele seja a Inglaterra”.

O homem forte do futebol são paulino revelou que o plano B, caso Sabella não aceite o convite, seria Jorge Sampaoli, hoje técnico do Chile, mas destacou que gosta da ideia de manter Milton Cruz no comando: “Já existia um segundo nome que é o Sampaoli, só que ele só pode ficar a disposição dia 4 e julho quando termina a Copa América”, afirmou Ataíde. “Acho difícil esperar muito tempo. Só que minha ideia é, por acaso Sabella não venha, a gente continue prestigiando o Milton Cruz que jogadores gostam e tem feito bom trabalho. A gente sabe que Sampaoli é muito demorado. Eu confio muito no Milton Cruz, é excelente, estudioso. Talvez ele possa ser nosso técnico definitivo”, completou.

Segundo Gil Guerreiro, Sabella fala perfeitamente português, deve chegar ao São Paulo apenas com um auxiliar técnico é um preparador físico, e se mostrou um profundo conhecedor do futebol brasileiro: “ele analisou o elenco do São Paulo, já conhecia, falou de jogador por jogador, e acha que reforços tem que ser brasileiros, é contra trazer jogadores argentinos. Ele conhece tudo, acompanha o futebol brasileiro, é fã do futebol brasileiro. Tem uma parabólica lá onde ele acompanha o futebol brasileiro. É um estudioso, passa 24 horas por dia pensando em futebol”.

A escolha de um técnico estrangeiro para assumir o comando tricolor, segundo Ataíde, não é por falta de boas opções no mercado nacional, e sim para tentar modificar o cenário e trazer cosias novas ao futebol brasileiro: “não é um desprestigio aos técnicos brasileiros, temos grandes técnicos brasileiros. Eu sou favorável a troca de ideias, trocar conhecimento. Pegar os sul-americanos que tem grande experiência na Europa e trazer pra cá”, completou.