Atlético-PR sofre no tempo normal e nos pênaltis, mas avança na Libertadores

  • Por EFE
  • 06/02/2014 00h42
Atlético-PR se classificou de forma heroica na Libertadores 2014

O Atlético-PR esteve muito perto da eliminação precoce ainda na fase preliminar da Taça Libertadores, mas conseguiu avançar no torneio nesta quarta-feira ao vencer o Sporting Cristal por 2 a 1 no tempo normal e por 5 a 4 na disputa de pênaltis no estádio Durival de Britto, em Curitiba.

A partida permaneceu empatada até os 50 minutos do segundo tempo, quando Ederson, cobrando penalidade, marcou o segundo gol do Furacão. Antes, pouco depois do intervalo, Manoel abrira o placar, e Ávila empatara logo em seguida.

Na disputa decisiva, o time da casa saiu em desvantagem e viu a saída da competição de perto, mas Delgado e Calcaterra erraram quando tiveram a oportunidade de classificar o Sporting, e Aquino falhou no último chute do jogo, dando o triunfo ao Atlético.

Após tanto sofrimento, o vice-campeão da América de 2005 se colocou no grupo 1, em que enfrentará Vélez Sarsfield-ARG, Universitario-PER e The Strongest-BOL, adversário da estreia.

Com a classificação do time paranaense, o Corinthians continua sendo a única equipe brasileira a ter sido eliminada na fase preliminar, instituída em 2005. O Timão caiu para o Deportes Tolima em 2011, um ano antes de ser campeão da América.

O técnico do Atlético, Miguel Ángel Portugal, apostou em uma formação ofensiva, com três atacantes. Paulinho Dias levou a melhor contra João Paulo por um lugar no meio-campo, e Douglas Coutinho, que é atacante, foi escolhido em lugar do meia espanhol Fran Mérida.

No Sporting, Daniel Ahmed pôde repetir a formação da vitória na ida. A única dúvida era o meia-atacante Lobatón, que se recuperou de lesão e esteve em campo.

O Furacão teve mais a bola desde o começo, mas finalizava pouco. A primeira boa chance foi criada apenas aos 14 minutos de partida, quando Ederson apareceu livre pelo meio e bateu para fora.

A resposta peruana foi dada um minuto depois, com Yotún. O lateral-esquerdo, rebaixado no ano passado com o Vasco no Campeonato Brasileiro, acionou Leguizamón, que foi bloqueado por Manoel na hora da finalização.

Na sequência, aos 17, o duelo esquentou, e o árbitro teve que agir. Zezinho e Balbín trocaram empurrões após uma dividida e foram expulsos, deixando cada um dos times com dez homens.

Embora tivesse mais a bola, o Atlético criava pouco e ainda tinha problemas com o contra-ataque adversário. Aos 21, Leguizamón partiu com certo espaço, mas vacilou e perdeu para Manoel.

O Atlético não criava muito, e, quando criava, pecava na conclusão dos lances. Aos 32 minutos, Douglas Coutinho ajeitou de peito para Marcelo arrematar. O goleiro deu rebote, o próprio Marcelo ficou com a bola, mas bateu mal novamente.

O camisa 7 tentou se redimir aos 41, e cruzou da esquerda rasteiro procurando Ederson. O artilheiro do Brasileirão 2013 chegou um pouco atrasado e não conseguiu desviar.

O segundo tempo começou com dois sustos dos donos da casa no time visitante. Logo aos três minutos, Natanael arriscou de fora da área e mandou rente à trave direita; aos seis, Marcelo cruzou buscando Mérida, mas Cóssio se antecipou e fez o corte.

O sufoco deu resultado aos 16 minutos, e o Atlético enfim abriu o placar. Mérida cobrou falta da direita, Manoel se antecipou ao goleiro Penny e cabeceou para a rede.

A festa da torcida, no entanto, durou apenas dois minutos. Mérida desta vez cometeu a infração e levou cartão amarelo. Calcaterra fez o chuveirinho, Ávila apareceu livre na segunda trave, em condições duvidosas, e deixou tudo igual.

Pouco depois do gol, aos 20 minutos, o Sporting ficou com nove jogadores. Cóssio, que já tinha cartão amarelo, entrou duro em Manoel e foi expulso. Daniel Ahmed então se viu obrigado a recuar e colocou Luis Advíncula, lateral que no ano passado defendeu a Ponte Preta, no lugar de Ávila.

Embora tivesse um a mais, o Furacão pouco incomodava Penny. Aos 30 minutos, Marcelo enfim lembrou o jogador eleito revelação do Brasileirão e girou bonito na área, mas arrematou por cima.

Nos últimos 20 minutos de partida, o adversário abdicou do ataque, e a equipe paranaense era a dona da bola, mas finalizava pouco e mal. Entretanto, sem se entregar, o time foi premiado aos 49 minutos, com a marcação de Ortiz, que colocou a mão na bola dentro da área e também foi expulso. Com a frieza de um goleador nato, Ederson cobrou no canto esquerdo, tirando do goleiro, e desempatou.

A disputa de penalidades foi emocionante. O Sporting chegou a ficar a um acerto em três para avançar, depois dos erros de Deivid e Nathan. No entanto, Delgado e Calcaterra falharam e, na batida de Aquino no travessão nas alternadas, o Atlético se classificou.

Ficha técnica:

Atlético-PR: Weverton; Sueliton (Nathan), Manoel, Cleberson e Natanael; Deivid, Paulinho Dias (Mosquito) e Zezinho; Douglas Coutinho (Fran Mérida), Marcelo e Ederson. Técnico: Miguel Ángel Portugal.

Sporting Cristal: Penny; Cóssio, Delgado, Ortiz e Yotún (Núñez); Calcaterra, Cazulo, Balbín e Lobatón; Ávila (Advíncula) e Leguizamón (Aquino). Técnico: Daniel Ahmed.

Árbitro: Antonio Arias (Paraguai), auxiliado por seus compatriotas Rodney Aquino e Carlos Cáceres.

Cartões amarelos: Cleberson, Mérida, Manoel e Deivid (Atlético-PR); Cazulo, Penny, Cóssio e Aquino (Sporting Cristal)

Cartões vermelhos: Zezinho (Atlético-PR); Balbín, Cóssio e Ortiz (Sporting Cristal).

Gols: Manoel e Ederson (Atlético-PR); Ávila (Sporting Cristal).

Estádio: Durival de Britto, em Curitiba.

Nos pênaltis: Ederson, Mérida, Natanael, Mosquito e Nathan acertaram – Deivid e Nathan erraram; Lobatón, Cazulo, Advíncula e Núnez acertaram – Delgado, Calcaterra e Aquino erraram. EFE