Audax já se conforma em perder 8 titulares. Missão será segurar Fernando Diniz

  • Por Jovem Pan
  • 05/05/2016 17h35

Grêmio Osasco Audax muito provavelmente perderá mais de 80% de seus titulares após o Paulista

Grêmio Osasco Audax muito provavelmente perderá mais de 80% de seus titulares após o Paulista

O Grêmio Osasco Audax não será mais o mesmo depois do surpreendente sucesso no Campeonato Paulista de 2016. O finalista do Estadual mais importante do País, ao que tudo indica, sofrerá um verdadeiro desmanche após a partida decisiva contra o Santos, neste domingo, na Vila Belmiro. E quem diz isto é Gustavo Teixeira, filho de Mário Teixeira, dono do clube. 

“Não sei dizer se a gente estava preparado para chegar a uma final neste momento. Os nossos jogadores ganharam um visibilidade enorme, e é bem provável que tenhamos dificuldade para mantê-los“, admitiu Gustavo, em entrevista exclusiva a Wanderley Nogueira para o Plantão de Domingo, da Rádio Jovem Pan. 

O filho de Mário Teixeira, que chega a ser até mais participativo do que o pai na gestão do Audax, explicou que os principais jogadores do time-sensação do Campeonato Paulista devem, de fato, sair logo depois da final contra o Santos. O fato de eles terem assinado contratos curtos com o clube, que não sabia se teria calendário até o fim do ano, tornou o assédio externo inevitável. 

Gustavo calcula que mais de 80% da equipe titular do Audax será desfeita“Provavelmente, o Mike e o Juninho, que estão emprestados, vão voltar para os seus clubes; o Tchê Tchê já acertou com o Palmeiraso Camacho e Bruno Paulo, pela oferta que receberam do Corinthians, também devem se transferir. São cinco jogadores praticamente fora. Ainda tem o Ytalo, que deve chamar a atenção de clubes da Série A, o Yuri, Velicka Dos 11 titulares, é capaz de uns 7, 8 saírem“, revelou.

 

Audax, então, deve subir muitos garotos da base para fechar o elenco que disputará a Série D do Campeonato Brasileiro. O clube faz um grande trabalho nas categorias inferiores e, além disto, precisará reduzir a folha salarial para jogar a competição – que, segundo Gustavo, é deficitária, já que, em jogos fora de casa, a CBF só paga passagem e hospedagem para as equipes participantes. 

Nossa folha de pagamento, hoje, gira em torno de R$ 500 mil. Jogando a Série D, essa folha não pode passar dos R$ 200 mil. E este valor já será alto. Com ele, estaremos no topo dos times que vão disputar essa competição“, justificou o dirigente. 

Mas não são só as saídas de titulares e o planejamento financeiro para a Série D que preocupam o Audax. O principal temor do clube de Osasco, hoje, é perder Fernando Diniz. O técnico está na equipe há três anos e é o principal responsável pelo encantador estilo de jogo do time. Ainda não se sabe se ele permanecerá no Audax depois do Paulistão. 

O Fernando Diniz é uma pessoa que a gente considera muito, e, se aparecer alguma equipe grande oferecendo um salário muito alto, que a gente não tenha condição de acompanhar, é natural que saia, mas nossa intenção é que ele continue“, afirmou Gustavo Teixeira.

A saída do treinador seria um soco no estômago do Audax, que se tornou a sensação do futebol brasileiro no primeiro semestre de 2016. “Uma coisa importante é que o clube não perca a sua filosofia de jogo depois do Paulista“, disse o filho de Mário Teixeira, externando toda a preocupação do Audax. 

O clube ainda acha que Diniz precisa do Audax. Deverá ser este, por sinal, o mote da conversa com o técnico. Ele é o queridinho de Mário Teixeira, funciona como uma espécie de pai para os jogadores e, no clube, tem total liberdade para trabalhar como sempre desejou. Será que teria tamanho prestígio e respaldo em um time grande? É nisto que o Audax apostará para segurar o treinador. 

Mesmo assim, o clube sabe que não conseguirá ficar com Diniz para sempre. Por isso, já trabalha para “sobreviver” depois que ele for embora. “Da mesma forma que a gente investe nos jogadores da base, a gente investe nos treinadores jovens. Nosso desafio é que estes treinadores incorporem o pensamento do Diniz para que, futuramente, eles possam substituir o próprio Diniz caso ele saia para alguma outra equipe grande, finalizou Gustavo.