Baba? Bolívia vê vídeos, prepara “cerco” a Neymar e tem até papo por vaga à Copa

  • Por Jovem Pan
  • 05/10/2016 18h19

Bolívia trocou de técnico recentemente e arrancou surpreendente empate contra o ChileBolívia trocou de técnico recentemente e arrancou surpreendente empate contra o Chile

A Seleção Brasileira fará, nesta quinta-feira, o jogo que, para muitos especialistas, é o mais fácil das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo: enfrentará a frágil Bolívia, dentro de casa. Mas será que a próxima rival brasileira é tão frágil assim? Em entrevista exclusiva a Fredy Junior, para a Rádio Jovem Pan, o atacante Marcelo Moreno, que está de volta à seleção após mais de um ano, abriu o jogo e fez questão de esclarecer: a Bolívia não irá a Natal pensando apenas em perder de pouco. 

Moreno, que ficou quase 300 dias afastado da seleção após desentendimento com o ex-treinador, revelou que a Bolívia tem feito uma preparação especial para encarar o animado Brasil, na Arena das Dunas. De vídeos que ressaltam as peculiaridades táticas do time de Tite à uma conversa cujo mote foi a possibilidade de classificação ao Mundial da Rússia, a Bolívia se planejou e está disposta a afastar de vez a pecha de “baba” da América do Sul. 

A fase, por sinal, é boa. Assim como o Brasil, a Bolívia trocou de técnico há poucos meses e, sob novo comando, evoluiu: venceu o Peru, em casa, e arrancou um surpreendente empate com o atual campeão da Copa América, Chile, em Santiago. O time segue na oitava posição das Eliminatórias, é verdade, mas, agora, a distância para a zona de classificação à Copa é de seis pontos.

Temos um novo treinador, uma seleção muito experiente e bons jovens. Inclusive, estamos falando dentro do vestiário que a última vaga para a Copa tem quer ser nossa. Vamos correr atrás disso, a gente pode sonhar“, afirmou Marcelo Moreno, revelando as ousadas pretensões bolivianas para 2018 – a seleção andina disputou apenas três Mundiais na história: em 1930 (como convidada), 1950 (como convidada) e 1994 (após vaga nas Eliminatórias). 

Mas, para buscar essa classificação, temos que mostrar trabalho dentro de campo. É por isso que temos esta grande oportunidade de jogar com o Brasil e trazer um bom resultado para a Bolívia. Essas duas próximas rodadas vão dizer muito sobre as nossas possibilidades de ir ao Mundial”, acrescentou o experiente centroavante de 29 anos, que tem nacionalidade brasileira e atualmente joga pelo modesto Changchun Yatai, da China – além do Brasil, a Bolívia vai enfrentar o Equador, em casa, nos próximos dias. 

Moreno sabe, também, que as chances de a Bolívia arrancar pontos do Brasil em Natal passam por uma improvável má atuação de Neymar. E a seleção andina, segundo o atacante, tem se preparado para fazer um verdadeiro cerco sobre o maior craque brasileiro“Vamos tentar fazer um grande jogo, surpreender. Temos que saber marcar o NeymarJá estamos trabalhando em cima disso aqui na seleção. Tomara que possamos estar iluminados nesse dia para surpreender”afirmou.

O novo técnico da Bolívia sabe bem do que Neymar é capaz. Era Ángel Guillermo Hoyos, afinal, quem comandava o frágil Bolívar na Libertadores de 2012. Naquele ano, o time boliviano venceu o então campeão Santos na partida de ida das oitavas de final por 2 a 1 e causou polêmica. Tudo porque o treinador argentino disse que “não sabia quem era Neymar“.  

A declaração soou como uma provocação ao jovem atacante santista, que, no jogo de volta, acabou com o Bolívar: marcou dois gols, distribuiu três assistências e liderou o massacre alvinegro por 8 a 0. Em uma das comemorações, Neymar “se apresentou” à torcida presente à Vila Belmiro. Depois do jogo, postou a expressão “muito prazer” nas redes sociais. As duas atitudes foram uma clara resposta ao técnico Guillermo Hoyos. 

O argentino, no entanto, tem currículo bom o suficiente para ofuscar aquela controvérsia. Por exemplo: o treinador comandou Lionel Messi e o restante do time B do Barcelona entre 2001 e 2006 e, mais recentemente, em 2012, trabalhou à frente do banco de reservas do tradicional Once Caldas, da Colômbia. “É um cara experiente, que já trabalhou no Barcelona e teve a experiência de formar o Lionel MessiEle tem comando de vestiário, de grupo, e trabalha muito bem a parte tática. Já assimilamos isso nas duas rodadas que se passaram. Deu para ver algumas mudanças“, elogiou Moreno. 

O objetivo é que façamos um jogo taticamente perfeito contra o Brasil, porque tem que ser assim... Temos visto vídeos e trabalhado muito nos treinos. Estamos preparados e ansiosos para que o jogo chegue logo e que a Bolívia faça uma grande apresentação. Grandes jogadores voltaram para a nossa seleção, e isso mexeu muito com o grupo, com a energia do torcedor boliviano. Então, estamos confiantes de que podemos fazer um grande jogo”, encerrou o atacante, que, curiosamente, já atuou pela Seleção Brasileira sub-20 e, em 2009, marcou um gol contra o Brasil na histórica vitória boliviana por 2 a 1, em La Paz.