Balanço do mercado: reforçado Palmeiras fica no “prejuízo” enquanto rivais lucram

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2016 15h51
Corinthians de Renato Augusto lucrou no mercado; Palmeiras de Erik se reforçou

A temporada 2016 do futebol brasileiro está prestes a começar oficialmente nos gramados, mas, nos bastidores, os clubes já estão trabalhando desde o fim do Brasileirão 2015 para se reforçar – ou evitar a perda de jogadores. No caso dos quatro grandes paulistas, esse período foi agitado e com resultados financeiros bastante distintos.

Só que, no mundo do futebol, diferentemente de outros segmentos econômicos, nem sempre fechar no azul é uma boa notícia. O Corinthians, por exemplo, lucrou R$ 61,8 milhões com transferências (mesmo contando o gasto com os reforços Marlone e Guilherme). No entanto, perdeu cinco de seus titulares campeões nacionais no ano passado, sendo quatro para a China: Renato Augusto, Jadson, Ralf e Gil; Vagner Love foi para o Monaco.

Já o Palmeiras gastou muito e não arrecadou nada em contratações. Os atletas que deixaram o clube saíram por empréstimo ou fim de contrato. Por outro lado, chegaram Rafael Marques, Erik, Jean e Moisés, que, ao todo, custaram cerca de R$ 24,5 milhões – os outros reforços chegaram por empréstimo ou fim de contrato. Mas cabe a pergunta: neste momento, quem está mais feliz: os torcedores corintianos, que viram seu time lucrar à base da perda de nomes importantes, ou os palmeirenses, que gastaram muito para ter elenco farto em 2016?

São Paulo e Santos, por outro lado, foram mais equilibrados nas movimentações no mercado de transferências. O Tricolor só gastou para contratar o atacante Kieza (R$ 4 milhões) e, com a venda de Maicon ao Grêmio, teve lucro de R$ 3 milhões até o momento. O Santos, por sua vez, trouxe Paulinho e Joel por empréstimo e arrecadou R$ 17 milhões com a venda de Geuvânio.