Bandeira que beneficiou o Corinthians desabafa: “prejudiquei a competição”

  • Por Lancepress
  • 04/09/2015 18h12
O auxiliar Fábio Pereira anulou um gol legítimo de Cícero

Um dos personagens principais da 22ª rodada do Campeonato Brasileiro desabafou nesta sexta-feira. Dois dias após anular gol legal do meia Cícero do Fluminense, na partida contra o Corinthians, quando o jogo estava ainda 1 a 0 para o Timão – encerrando-se em 2 a 0 para os paulistas na Arena -, Fabio Pereira, assistente do duelo, assumiu o erro e desabafou à Folha de São Paulo.

“Prejudiquei o jogo e a competição. Foi um erro duro, o grande erro da minha carreira”, admitiu o assistente da partida.

O Corinthians vem sendo alvo de reclamações de outras equipes do Brasileirão, que acusam o clube de estar sendo beneficiado pela arbitragem na competição. O clube paulista é o líder do Nacional, com 49 pontos, sete à frente do Atlético-MG, vice-líder. Apesar de novo erro a favor do Timão, Fabio Pereira diz que é inaceitável cogitar que há complô para o Alvinegro ser campeão.

“O jogo estava 1 a 0. Se o gol tivesse sido dado, poderia ser muito diferente. Foi com certeza uma coisa que influenciou no placar. Mas é uma loucura dizer que tem complô (para beneficiar o Corinthians). Isso não existe. A gente não conseguiu ser perfeito. Só isso. Quase tudo deu certo”, disse o bandeira.

Fabio Pereira não fugiu da responsabilidade que seu erro pode ter causado para a competição. Por isso, para o assistente, decisão da CBF de afastá-lo por tempo indeterminado de jogos do futebol brasileiro foi correta e lamentou pelos profissionais do Fluminense.

“Não foi um erro aceitável. O lance não era complexo. Não era uma questão de interpretação. A comissão e a CBF estão certas e agora eu tenho de voltar ao treinamento e me aperfeiçoar. Lamento pelos profissionais que prejudiquei, pelos jogadores, pela diretoria. Eu me sinto culpado. Sinto como um jogador que perde um gol na cara ou um goleiro que toma um gol fácil de pegar”, concluiu.

Pereira foi um dos seis profissionais da arbitragem afastados na última quinta-feira. Assim como os outros, ele ficará realizando trabalhos teóricos e práticos na Escola Nacional de Arbitragem. Nunca antes no Brasileirão tantos profissionais haviam sido suspensos em uma única rodada.