Benítez é apresentado no Real Madrid e rechaça fama de retranqueiro

  • Por Agência EFE
  • 03/06/2015 12h03
Mesmo em má fase

O espanhol Rafa Benítez foi apresentado nesta quarta-feira como novo técnico do Real Madrid, e na primeira entrevista coletiva já precisou se defender de perguntas sobre um suposto perfil excessivamente cauteloso na forma das equipes que comanda jogarem.

“Hoje, mais do que falar da ideia do sistema e de nomes de jogadores, posso expor minha ideia de trabalho. Me acusam de ser defensivista, mas o Napoli fez 104 gols em duas temporadas seguidas, um recorde”, afirmou.

No primeiro ato como funcionário do, ainda, campeão europeu, Benítez evitou falar sobre a ideia de escalação e sobre dar mais tempo de jogo a vários reservas, o que não aconteceu na última temporada e que teria irritado a direção do clube.

“O técnico pode tomar decisões, então não me preocupa escalar um ou outro, porque são todos bons. É acertar sempre”, disse o espanhol.

Ex-jogador das divisões de base do Real Madrid, e técnico da equipe B entre 1993 e 1995, Benítez admitiu que vive um dia especial e muito emocionante com a volta para o clube que o revelou para o futebol.

“Voltar para casa era um dos meus objetivos. É a sensação de que se fecha um ciclo, e que seja um dos mais longos possíveis. Um dia de emoção, um dia muito emocionante para mim”, contou o ex-Valencia, Liverpool, Inter de Milão.

Ao falar da motivação pela chegada no Real Madrid, Benítez destacou a força do plantel do clube, mas que não pretende se acomodar com a presença de grandes astros do futebol internacional, enquanto estiver no comando.

“Há um grande elenco, um grande grupo e aproveitarei da qualidade dos jogadores, independentemente do nome. Hoje não é o dia. Tenho que tirar o máximo deles”, garantiu.

Questionado sobre ser o décimo técnico das duas passagens de Florentino Pérez no clube, Benítez afirmou não estar preocupado, e ainda brincou com algumas coincidências.

“O número é muito bom, pois quando te dão a (camisa) 10 na Espanha é muito bom. Ser o décimo, ter a Décima, está bem para mim. Fico feliz e espero ser muito feliz por muitos anos”, disse o espanhol.