Blatter acusa França e Alemanha de “intervenção política” na escolha do Catar para Copa

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2015 10h00

O presidente da Fifa Joseph Blatter não vai marcar presença na final da Copa do Mundo feminina

Joseph Blatter

Em reportagem publicada neste domingo (05) pelo jornal alemão Welt am Sonntag, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, acusou os ex-presidentes da França e da Alemanha de terem influenciado politicamente a escolha do Catar como sede da Copa do Mundo de 2022. “Nicolas Sarkozy e Christian Wulff tentaram influenciar nos votos de seus representantes. É por isso que temos a Copa do Mundo no Catar”, afirmou.

O dirigente suíço disse que a Federação Alemã de Futebol recebeu ordens de Wulff para usar como critério de escolha “interesses econômicos”. “Olhe para as empresas alemãs. Deutsche Bahn, Hochtief e muitas outras têm projetos no Catar mesmo antes da Copa ter sido dada ao país”, aponta Blatter.

O líder da Fifa criticou a França com base em um encontro ocorrido entre Sarkozy e Michel Platini, presidente da UEFA que tem voto direto na escolha do país sede.

Na entrevista, Blatter também contou que não vai deixar a Suíça com receio de que seja extraditado para os Estados Unidos, como tem acontecido com outros dirigentes da organização. “Até que tudo não esteja esclarecido, eu não tomarei nenhum risco de viagens”, disse ao confirmar que não vai comparecer à final do Mundial de Futebol Feminino que acontece no Canadá, mas ressaltou, “não tenho nada a temer”.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.