Blatter segue banido do futebol pelos próximos seis anos, decide CAS

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 05/12/2016 11h54
Joseph Blatter - Agência EFE

Joseph Blatter, ex-presidente da FIFA, perdeu sua tentativa de recurso e segue banido do futebol pelos próximos seis anos conforme decisão da Corte Arbitral do Esporte divulgada nesta segunda-feira.

O dirigente de 80 anos está proibido de exercer qualquer função relacionada ao futebol desde o ano passado devido ao escândalo de corrupção envolvendo a Fifa que foi revelado em 2015. 

Blatter, punido inicialmente em oito anos de banimento e tendo a pena reduzida após um primeiro recurso para seis anos, teria feito “um presente indevido”, segundo a CAS, ao ex-presidente da UEFA, Michel Platini, também banido do futebol por quatro anos, no valor de R$ 2 milhões. Ambos negam as acusações.

Blatter apontava de que o dinheiro era um salário atrasado que a Fifa devia para Platini. Mas admitiu que não existe acordo escrito e que se tratava de um “acordo oral de cavalheiros”. Para a Fifa, porém, a suspeita era de falsificação do balanço financeiro da entidade. Blatter era presidente e Platini, em 2011, seu vice-presidente. Ambos teriam de ter informado aos demais membros do Comitê Executivo sobre o pagamento, o que não ocorreu. 

Segundo o Comitê de Ética da Fifa, portanto, o pagamento de US$ 2 milhões “não tem base legal”. A tese de um “acordo de cavalheiros” não foi “convincente” e acabou sendo rejeitada. 

Condenados por “abuso de poder” pela Fifa, Blatter e Platini haviam sido suspensos do futebol por oito anos no final de 2015, numa decisão que havia sido considerada como um divisor de águas na história da entidade que, pela primeira vez, afastou do futebol seu presidente. 

A estratégia também era a de demonstrar ao FBI que a Fifa estava virando a página. Pressionada por patrocinadores e pela polícia, a entidade precisa provar que ela é a vítima dos cartolas, e não uma organização criminosa.