Bom, barato e bem disposto: quem pode ser o novo técnico do São Paulo?

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2015 16h56
Diversos treinadores são especulados no São Paulo

O São Paulo resolveu não esperar até o fim do Campeonato Brasileiro para demitir Doriva e colocar Milton Cruz como treinador interino. Agora, a missão da diretoria é procurar o dono permanente do cargo em 2016. O que dificulta a procura são os critérios impostos para a contratação: o novo comandante tem de aceitar receber no máximo R$ 300 mil, topar trabalhar com um time sem grandes contratações e, de preferência, não ter multa rescisória.

Com isso, Cuca, que recebe R$ 1 milhão, é um exemplo de técnico distante do Morumbi. Mas existem profissionais que se enquadram nas necessidades são-paulinas, e o Jovem Pan Online os lista abaixo.

Roger Machado

Treinador novo, sem salário de um medalhão, e que já está demonstrando competência, Roger Machado é um nome comentado pelos lados do Morumbi. Depois da saída de Felipão, levou o Grêmio a um improvável terceiro lugar no Campeonato Brasileiro, que ainda pode se transformar numa vice-liderança. No entanto, o tricolor gaúcho promete dificultar muito a negociação.

Indicação de Osorio

Quando saiu em outubro para dirigir a Seleção Mexicana, Osorio aconselhou o São Paulo a manter Milton Cruz como interino até o fim do Campeonato Brasileiro para depois ser substituído por um técnico de sua indicação. Com o insucesso do plano Doriva, o clube poderia voltar a conversar com o colombiano para saber quem ele considera o melhor nome para o cargo. Só que, até o momento, não se tem ideia de quem seria esse nome.

Milton Cruz

O auxiliar é sempre visto como uma opção por parte de analistas e até torcedores, por mais que não queira exercer o cargo de treinador de forma permanente. Seu aproveitamento em 2015, entre os trabalhos de Muricy e Osorio, é bastante positivo: 64,1% dos pontos conquistados. Além disso, seu salário seria menor que o de um técnico consagrado.

Abel Braga

Campeão mundial e da Libertadores com o Internacional em 2006, o “Abelão” já esteve na mira do São Paulo em diversos momentos, mas o acordo nunca foi fechado. No momento, treina o Al-Jazira, dos Emirados Árabes, e poderia ser seduzido pela chance de voltar a treinar um grande clube no Brasil.

Jorginho

Jorginho chegou ao Vasco em agosto e, desde então, tirou o clube carioca do virtual rebaixamento e lhe devolveu as esperanças de permanecer na primeira divisão. Além disso, teve de lidar com um elenco limitado tecnicamente, o que deve agradar a diretoria do São Paulo, que quer um treinador disposto a trabalhar sem grandes contratações.

Falcão

Depois de passar um tempo sem trabalhar como técnico, Falcão voltou ao cargo no Sport. E voltou com tudo: reergueu o time, que vinha em momento ruim no Brasileirão, e o colocou novamente na briga por uma vaga na Libertadores. Por isso, seu nome já está entre os especulados no Tricolor.

Dunga

O nome mais improvável, mas que mesmo assim já foi especulado no São Paulo. Há boatos de que Dunga esteja ameaçado na Seleção Brasileira, e uma possível demissão o deixaria livre para ir ao Morumbi. A probabilidade de isso acontecer pode aumentar consideravelmente de acordo com o desempenho nas partidas contra Argentina e Peru. Mais um motivo para os são-paulinos ficarem de olho na Seleção.

Muricy Ramalho

Muricy aproveitou sua saída do São Paulo para tratar a saúde e viajar para aprender novas formas de trabalhar. Mesmo que sua última passagem pelo Morumbi não tenha deixado uma impressão das melhores, por sua identificação com o clube e capacidade de conquistar títulos, não pode ser descartado para 2016. O fato de não estar vinculado a outro time ajuda, mas o alto salário seria um empecilho para seu retorno.