Bom Senso apoia Primeira Liga e vê momento para clubes romperem com CBF

  • Por Agência Estado
  • 26/01/2016 20h49
Eduardo Bandeira de Melo e Mário Celso Petraglia

O Bom Senso FC publicou em seus perfis nas redes sociais, nesta terça-feira, um manifesto a favor da organização da Copa Sul-Minas-Rio e contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que se opôs à realização do torneio.

“Todo apoio à Primeira Liga. O passo definitivo para o desenvolvimento do futebol brasileiro está com os clubes. O modelo do campeonato ainda não é o ideal, mas a Primeira Liga é terreno fértil para as mudanças no futebol brasileiro”, anunciou o movimento de atletas por melhorias no futebol.

Além de declarar o apoio ao campeonato, o Bom Senso também afirmou que este é o momento ideal para que os clubes coloquem fim ao modelo de organização do futebol brasileiro, por conta do momento de crise e denúncias contra a CBF.

“Com a cúpula da CBF enfraquecida e novamente tentando impedir o desenvolvimento do nosso futebol, o momento é propício para que os clubes rompam de vez com o modelo arcaico que teima em se manter no futebol brasileiro”, prosseguiu. “A organização e o protagonismo do futebol brasileiro precisam se desvencilhar da estrutura corrompida e ineficiente que os domina há tanto tempo “

O comunicado do Bom Senso ganha destaque também porque a CBF anunciou na segunda-feira que veta a realização de jogos oficiais após o dia 30 de janeiro. Porém, a Copa Sul-Minas-Rio tem sua final marcada para o dia 31 de março e a Liga não deve ceder à entidade.

Confira, abaixo, a nota do Bom Senso na íntegra:

“Todo apoio à Primeira Liga

O passo definitivo para o desenvolvimento do futebol brasileiro está com os clubes.

O modelo do campeonato ainda não é o ideal, mas a Primeira Liga é terreno fértil para as mudanças no futebol brasileiro.

Com a cúpula da CBF enfraquecida e novamente tentando impedir o desenvolvimento do nosso futebol, o momento é propício para que os clubes rompam de vez com o modelo arcaico que teima em se manter no futebol brasileiro.

A organização e o protagonismo do futebol brasileiro precisam se desvencilhar da estrutura corrompida e ineficiente que os domina há tanto tempo.

A chuteira está amarrada, o apito está na boca e a bola está na cal.

É chegada a hora!”