“Bom Senso não é adversário de ninguém, nós somos pró-futebol”, diz Gilberto Silva

  • Por Ana Cichon/ Jovem Pan
  • 17/03/2014 19h35
PORTO ALEGRE,RS, 28.02.2012-FUTEBOL/TREINO GRÊMIO- Gilberto Silva, jogador do Grêmio durante treino na tarde de hoje no campo suplementar do estádio Olímpico. A equipe se prepara para enfrentar o Cerâmica em partida válida pela primeira rodada do segundo turno da Taça Farroupilha do Gauchão. O jogo acontece domingo(04) às 16h:00min, no estádio Vieirão em Gravataí,RS. Foto:Edu AndradeGilberto Silva passou por diversos clubes do Brasil e do exterior

Pentacampeão do mundo, nove anos de Seleção Brasileira, títulos europeus, campeão da Libertadores da América, Gilberto Silva hoje faz parte da estatística de jogadores desempregados no Brasil. Atuante no movimento Bom Senso FC desde o início, ele participou do seminário do movimento nesta segunda-feira, que apresentou propostas para o fair play financeiro e para o calendário nacional.

Em conversa exclusiva com o Jovem Pan Online, ele pediu atenção das pessoas com as demandas do Bom Senso e disse que o mundo inteiro está com os olhos voltados para o Brasil pelo momento de Copa do Mundo.

“O Bom Senso traz propostas diretas e esperamos que as pessoas que querem o melhor do futebol entendam que são ideias possíveis para melhora do futebol brasileiro”. Sobre o calendário apresentado, que entre as mudanças traz a criação de uma 5ª divisão no Brasileiro e a transformação de campeonatos estaduais em copas, ele explicou que foi um modelo criado e desenvolvido por pessoas que estudam a área, e é apenas uma sugestão para a CBF.

“É uma sugestão de calendário, não uma imposição, de forma alguma. Com o que foi apresentado hoje é possível, não precisa ser este modelo, mas seja melhor que o atual para que todos sejam beneficiados, em vários seguimentos. É preciso acordar e não tapar o sol com a peneira”.

A CBF e a imprensa são, na visão de Gilberto, os principais aliados do movimento, cada um com o que compete. “A imprensa tem que disseminar as ideias, para ficar bem esclarecido para o torcedor, para as pessoas que têm dúvidas a respeito do movimento, sem dúvida facilita o nosso trabalho. E o que a gente precisa chegar para as pessoas que vão decidir, pessoas da CBF, dos clubes e das confederações para chegar consenso para todos serem beneficiados”.

Reforçando o que Alex falou durante a apresentação das propostas, Gilberto Silva garantiu que existem conversas com os dirigentes dos clubes, mas que nem todos estão ativos. Ele também destacou que torcedores precisam ter clareza sobre as demandas do movimento, pois alguns cobram ações em diversos segmentos.

“Tem gente achando que jogador está querendo diminui calendário e ganhar mais salário, mas ele não tem ali a estatística da realidade presente do futebol. Começa a debater outros assuntos que não é inerente ao Bom Senso, como decisões do STJD e violência. Só gostaria que entendessem que o Bom Senso não é adversário de ninguém, nós somos pró-futebol”.

A vivência dos atletas no mundo esportivo – muitos com passagens pelo exterior – é o que tem pautado o movimento. E a fama deles lá fora, somada a visibilidade do Brasil por ser ano de Copa de Mundo tem auxiliado o Bom Senso. Ele contou que foi procurado por um jornal da Inglaterra, que fez um grande artigo de impacto positivo, e que repercutiu no Brasil.

“Está todo mundo curioso, e os olhos do mundo estão voltados para o Brasil em função da Copa. Só que para quem está lá fora, as pessoas não se interessam apenas pela Copa, pelo futebol no Brasil. Estão interessados na economia, na segurança pública e na saúde eclaro, pelo futebol também. É importante que nós como brasileiros estejamos interessados, e não façamos apenas criticas quem tenta fazer algo. O Bom Senso é um movimento pró-futebol, aceito por muitos, mas muita gente nem sabe, critica e fala um monte de coisa que não sabe e não procura saber”.

Gilberto falou sobre a necessidade de mudança, e principalmente a necessidade de pessoas competentes enxergarem esta necessidade, pois segundo ele o Brasil está atrás de muitos páis em questão de melhorias e organização no futebol. “É preciso todo mundo se alertar para isso. Quando todos entenderem e o que é o objetivo, verão que é benéfico para todos, até para quem tá assistindo”.