Botafogo faz “jogo do ano” contra Deportivo Quito para seguir na Libertadores

  • Por Agencia EFE
  • 04/02/2014 13h08

Rio de Janeiro, 4 fev (EFE).- O estádio do Maracanã será palco nesta quarta-feira do “jogo do ano” do Botafogo, que entrará em campo para tentar reverter o placar do duelo eliminatório contra o Deportivo Quito, do Equador, pela fase preliminar da Taça Libertadores.

Na primeira partida, realizada na quarta-feira passada, o time equatoriano venceu por 1 a 0, com gol do atacante Víctor Estupiñan. Quem avançar irá para o grupo 2, que tem Unión Española, do Chile, San Lorenzo, da Argentina, e Independente del Valle, também do Equador.

O Alvinegro da Estrela Solitária tem como missão de vencer por dois ou mais gols de diferença para sair classificado nos 90 minutos regulamentares. Se devolver o 1 a 0 de Quito a partida irá para os pênaltis. Qualquer outro resultado resultará em vaga para o rival.

Curiosamente, a última vez que o Bota venceu uma partida como mandante em competição continental foi contra equipe equatoriana. Em 2009, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, a equipe venceu o Emelec, com gols do meia-atacante Renato (não o jogador do atual elenco) e o centroavante André Lima.

Na fase seguinte da competição, em que foi eliminado, o Alvinegro perdeu para o Cerro Porteño por 3 a 1. Dois anos depois, no retorno à fase internacional da competição, a equipe empatou com o Santa Fé, da Colômbia, em 1 a 1, sendo eliminado após derrota por 5 a 2 fora de casa.

A lembrança do último jogo em seus domínios na Libertadores também é ruim. Pelas oitavas de final de 1996, o Botafogo ficou no empate com o Grêmio, em 1 a 1, também no Maracanã. O volante Jamir marcou o gol alvinegro, mas Jardel garantiu a igualdade. Na volta, o zagueiro Luciano e o meia Carlos Miguel carimbaram a vaga tricolor.

Sem pensar no passado, a torcida do Botafogo vem demonstrando que estará ao lado do time. Tanto é que, até o fim desta segunda-feira, 28 mil ingressos foram comercializados para o duelo contra o Deportivo Quito. No elenco, o volante Gabriel confirmou o peso do jogo de amanhã e o foco total da equipe.

“Está valendo tudo nesse jogo. Queremos realmente entrar nessa fase de grupos, porque sabemos que temos qualidade para classificar. É o jogo do ano, só pensamos nele. Mas é preciso ter tranquilidade, não deixar a ansiedade atrapalhar para ser um time consciente dentro de campo”, afirmou o jogador, que deverá ser titular.

Com relação ao time que jogou em Quito, o técnico Eduardo Húngaro deve fazer apenas uma alteração, a saída do volante Rodrigo Souto. Resta saber quem o substituirá: o meia Daniel ou o atacante Wallyson. Ambos treinaram entre os titulares nesta segunda-feira.

Assim como o Botafogo, que utilizou reservas na derrota para o Vasco, pelo Campeonato Carioca, o Deportivo Quito também poupou seu time principal no fim de semana, no empate sem gols com o Olmedo, pela terceira rodada do Campeonato Equatoriano.

Para o jogo de amanhã, a Academia, como é conhecido o clube, deverá ter apenas uma mudança no time titular, já que o meia Edder Fuertes não embarcou para o Brasil por ter sido autorizado a resolver problemas pessoais. Em seu lugar, deverá atuar Carlos Bayas. Desfalque que não tira a confiança do Deportivo Quito.

“Procuraremos provocar uma surpresa no Brasil. No geral, neste tipo de jogos, as equipes brasileiras ficam com o favoritismo, mas nós vamos atrás de surpreender”, garantiu o meia Santiago Morales, que corre por fora na luta pela vaga de Fuertes.

None

Prováveis escalações.

Botafogo: Jefferson; Edilson, Bolívar, Dória e Júlio César; Marcelo Mattos, Gabriel, Daniel (ou Wallyson), Jorge Wagner e Lodeiro; Ferreyra. Técnico: Eduardo Húngaro.

Deportivo Quito: Ramírez; Chinga, Gregory González e Romero; Vega, Andrade, Bravo, Bayas e Feraud; Calderón e Estupiñan. Técnico: Juan Carlos Garay.

Árbitro: Silvio Trucco (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Hernan Maidana e Juan Belatti.

Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. EFE