Brasil bate Rússia por 3 sets a 0 e avança para as semifinais do Mundial

  • Por Agência Brasil
  • 17/09/2014 18h09

A Seleção Brasileira de vôlei derrotou a Rússia e foi para as semifinais do Mundial

Seleção Brasileira de vôlei comemora contra a Rússia

Precisando da vitória para seguir na competição, o Brasil não deu chance para a Rússia, que costuma ser uma pedra no sapato da seleção de Bernardinho em decisões, em um jogo de vida ou morte no caminho para o tetracampeonato mundial. O Brasil imprimiu 3 sets a 0 diante dos russos (25/22, 25/20 e 25/21) e é a primeira seleção classificada para as semifinais do Mundial de Vôlei.

Depois de perder a invencibilidade no campeonato em um jogo polêmico – com direito a decisão da  arbitragem sobre o último ponto do tie-break sendo revista e confirmando a vitória polonesa – diante da anfitriã Polônia, a seleção brasileira entrou em quadra obrigada a vencer a Rússia pelo placar de 3 sets a 0 ou 3 sets a 1 para evitar a eliminação. Se perdesse e ficasse de fora das semifinais, pela primeira vez em 20 anos, o Brasil não terminaria o Mundial entre os quatro primeiros – em 1994, o time encerrou a campanha em quinto.

Não bastasse o fator emocional, o Brasil ainda teve que driblar o cansaço para avançar para a fase final: prejudicado pelo sorteio da terceira fase, o desgastante duelo de cinco sets contra a Polônia e o jogo crucial contra a Rússia aconteceram em um intervalo de 24 horas. Isso porque, mesmo tendo terminado a primeira fase invicto e em primeiro lugar em sua chave, o time brasileiro perdeu o direito, previsto por regulamento, de ser o cabeça de chave da segunda rodada para Polônia, que recebe o torneio. Pelo calendário, o primeiro do grupo ganhou a folga de um dia entre um jogo e outro.

O nervosismo e descontrole do jogo contra a Polônia não apareceram para o clássico contra os atuais campeões olímpicos. Com Murilo, que ainda se recupera de um problema na coxa e jogou no sacrifício, em quadra, o Brasil conseguiu abrir uma pequena vantagem no primeiro set, e a administrou até fechar a parcial.

Contando com a experiência para minimizar erros, a seleção continuou à frente no placar no segundo set. Quando o Brasil oscilou, a Rússia ensaiou uma reação e assumiu a dianteira no placar. Depois de Bernardinho pedir tempo e intervir, o time se reencontrou e retomou o controle do jogo, passando a frente mais uma vez na base dos erros russos. A diferença de cinco pontos do segundo set foi a mais elástica dos sets.

No último e decisivo set, a Rússia partiu para cima e o Brasil vacilou na defesa, além de forçar demais nos saques e nos ataques. Isso permitiu que os russos estivessem à frente durante o início do set. Mas o time conseguiu reagir e virar o jogo, fechando a partida em 25/21.

O confronto entre Rússia e Polônia, que acontece nesta quinta, vai definir se o Brasil avança em primeiro ou segundo da chave. Na semifinal, o time joga contra França, Alemanha ou Irã, que compõem o outro triangular. O jogo que vale vaga na final acontece no sábado, em horário ainda não definido.

Para ficar com uma das vagas para a semifinal, a Rússia precisa vencer a rival Polônia por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1. Se a Rússia vencer, o Brasil termina em primeiro. Qualquer outro resultado garante a classificação da Polônia. Neste caso, o Brasil avançará como segundo melhor colocado.