Brasileiro da marcha atlética comemora punição à Rússia: “a gente via os caras fazerem mágica”

  • Por Jovem Pan
  • 18/06/2016 18h02
Maurren Maggi e Caio Bonfim falaram sobre a eliminação da Rússia do atletismo das Olimpíadas

A Rússia está fora dos jogos olímpicos Rio 2016 após os escândalos envolvendo a Federação Russa de Atletismo com casos de doping. Foi a primeira vez na história que todos os atletas de uma modalidade são banidos dos jogos por esta razão.

A punição poderá ser amenizada, caso o Comitê Olímpico Internacional (COI) avalie que vão liberar atletas comprovadamente limpos no Rio 2016. A medalhista de ouro olímpico em 2008, em Pequim, Maurren Maggi, lamentou a ausência dos russos e considerou um pouco injusta a punição a todos os atletas.

“É uma potência que a gente sabe que não vai ter e que vai fazer falta em relação a abrilhantar o nosso esporte, na verdade. Então, é uma pena. (…) Talvez essa punição que estão fazendo com todos os demais atletas não seja uma coisa tão justa. Eu não gostaria de não participar de uma Olimpíada por conta de uma máfia, algum grupo que tem um movimento errado. Eu iria brigar para estar participando”, afirmou Maggi, que completou dizendo que o fato da Federação Russa estar envolvida, assusta.

O professor Carlos Ventura, especialista em atletismo, apesar achar uma perda a retirada do tradicional país da modalidade dos Jogos, considera um ganho pelo fato da responsabilidade dos órgãos por trás das Olimpíadas.

“Nós ganhamos pela seriedade como os atletas e as Seleções são vistas. E aos respeito com os adversários. O fato de uma Rússia estar suspensa é um alerta para todos e um elogio para o Comitê Olímpico Internacional, que não teve desculpa e puniu realmente. A gente fica sabendo que os Jogos foram feitos com seriedade no Brasil. Então, nós somos a vitrine do mundo, e pra nós é importante que isso tenha acontecido e essa punição realmente esteja sendo feita”, disse o professor.

Para o atleta da marcha atlética de 20 km e 50 km, Caio Bonfim, que vai participar dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro deste ano, a eliminação dos russos não é razão para lamentar. Pelo contrário, é motivo de felicidade.

“Eu fico feliz. Eu não acho lamentável não. Porque quem trabalha duro todo dia, limpo, sabe qual é a dificuldade. Então, essa história dentro do atletismo a gente sempre soube. A gente via os caras fazerem mágica. Em dias antes da prova fazendo quilometragens sobrehumanas e chega na competição e fazer tempo sobrehumano de novo. Então, a gente já sabia disso. (…) É bom que vai caindo todo mundo, vai dando uma limpada e aí vai tendo mais oportunidades. Porque eu fui sexto colocado no mundial juvenil com dois russos na minha frente, fui quarto do mundo juvenil no outro ano com dois russos na minha frente, que foram pegos. (…) Então é triste isso. A gente poder marchar limpo e perder. (…) Eu fico feliz com isso e penso que no Rio vai ser uma Olimpíada mais justa”, desabafou Bonfim.

Confira no áudio acima a entrevista completa com os atletas e o professor especialista em atletismo. 

*As informações são do repórter Fredy Junior