Brinco de Ouro é arrematado por empresa de relógios e negócio ajuda Guarani

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2014 17h49
CAMPINAS (SP), 22.04.2012 - CAMPEONATO PAULISTA/QUARTAS DE FINAL: Guarani x Palmeiras, no estádio Brinco de Ouro da Princesa. Jogadores do Guarani comemoram o primeiro gol da equipe no segundo tempo. Foto: Marcelo Justo/FolhapressGuarani confirma melhor campanha e elimina rival alviverde Palmeiras no Brinco de Ouro

Vivendo grave crise financeira, o Guarani foi obrigado a mandar a leilão o Estádio Brinco de Ouro da Princesa e, nesta quinta-feira (27), como anunciado pelo próprio clube, as cinco matrículas que abrangem o complexo da construção foram arrematadas pelo Grupo Magnum, empresa de relógios que é parceira do time campineiro. O negócio foi oficializado na sede do Tribunal de Execuções Fiscais da Justiça Federal, em São Paulo (SP).

A empresa cobriu os lances iniciais pelo valor de R$ 44.450.000. O representante do Grupo Magnum foi o Roberto Graziano, proprietário, enquanto que o presidente Horley Senna representou o Guarani.

“O Roberto (Graziano) se mostrou hoje, como em várias outras situações, um verdadeiro parceiro do Guarani. Nos auxiliou no sentido de evitar novos leilões, que fatalmente seriam marcados, ou mesmo da entrada de um terceiro no processo como arrematante, um risco que corremos, e que seria ainda pior. Tenho certeza que nossa relação segue cada vez mais forte e conto com a garantia do próprio Roberto que os investimentos previstos serão feitos, conforme acordado anteriormente, exposto e aprovado pelos nossos associados em Assembleia, que contemplam suprir todas as necessidades do clube, tanto no futebol quanto no projeto imobiliário”, declarou Horley Senna.

O dinheiro que o clube vai faturar no leilão servirá para quitar parte das dívidas do clube, ainda que não sirva para acabar com todos os problemas financeiros do Guarani.