Bruno Soares lamenta eliminação em casa: “pior derrota do ano”

  • Por Agencia EFE
  • 21/02/2014 14h24
Bruno Soares e Alexander Peya foram eliminados no Rio Open

Eliminado nas semifinais da chave de duplas do Rio Open de tênis pelos colombianos Juan Sebastián Cabal e Robert Farah, o brasileiro Bruno Soares, que joga ao lado do austríaco Alexander Peya, admitiu que a frustração é maior por se tratar de uma derrota em casa.

“É mais doloroso. É a pior derrota do ano. Somos muito tranquilos nas derrotas, temos consciência de que isso é algo normal, mas no Brasil é diferente. Temos poucas oportunidades de jogar na frente da nossa torcida, e não poder estar na final brigando pelo título dói um pouco mais. E tem aquele momento de levantar a taça na frente do seu público, que é diferente de quando ganhamos lá fora. Eu já consegui isso, e é bem legal”, reconheceu Bruno, que com Peya forma a segunda melhor dupla da atualidade.

O tenista mineiro não era derrotado num torneio no país desde o Brasil Open de 2010, quando, ao lado de Marcelo Melo, caiu na estreia. Desde então, foram três títulos, um ao lado de Melo (2011), um com o americano Eric Butorac (2012) e um com Peya (2012). Segundo ele, no entanto, a quebra dessa sequência não o abala para a sequência da temporada.

“Irei para a praia. Um resultado assim não tem efeito algum entre nós, estamos completamente acostumados com essa situação. É um momento de maior reflexão, queríamos esta na final, jogando em casa, e estamos decepcionados, mas a motivação para o próximo torneio é a mesma”, garantiu.

Sobre a partida desta sexta em si, o terceiro colocado do ranking de duplas acredita que seu jogo não encaixou com o de seu parceiro, algo que de acordo com ele é difícil de acontecer, mas também elogiou os adversários e minimizou outros fatores.

“Tem um pouco de mérito deles, que sacaram muito bem. Eles gostam quando a bola voa um pouco mais, são de Bogotá e sabem controlar isso. Quanto à quadra e ao sol, estava tudo certo. Nós é que nos atrapalhamos”, comentou Bruno, que disse ainda que ficará na torcida para que Marcelo Melo conquiste o título ao lado do espanhol David Marrero.

“Não vi os jogos do Marcelo, mas só pelos resultados imagino que estejam jogando bem. Agora é torcer para ele, o título ainda pode ficar em casa”, finalizou.