Calleri decide, São Paulo bate o River Plate e se aproxima da classificação

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2016 23h38
SP - SÃO-PAULO-RIVER-PLATE - ESPORTES - O jogador Calleri do São Paulo comemora gol durante partida entre São Paulo x River Plate, válida pela Libertadores da América 2016, no estádio do Morumbi em São Paulo, SP, nesta quarta-feira (13). 13/04/2016 - Foto: MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOCalleri marcou dois gols diante do River

Foi só o São Paulo voltar ao Morumbi que sua história na atual Libertadores mudou completamente. Na semana passada, veio a goleada por 6 a 0 sobre o Trujillanos; nesta quarta-feira (13), diante de 60 mil torcedores, a nova vítima foi o River Plate. Diante do atual campeão continental, o Tricolor conseguiu se impor, contou com dois gols de Calleri e, apesar de um sufoco no fim, venceu por 2 a 1. Agora, a vaga na próxima fase depende de um empate na última rodada.

O São Paulo chegou pela primeira vez logo no segundo minuto de jogo, com Michel Bastos, que recebeu de Mena perto da área e chutou nas mãos do goleiro Barovero. Apesar do bom começo, o ritmo foi diferente na sequência, com muita marcação e poucas chegadas ao ataque. Em uma delas, Ganso cobrou escanteio, João Schmidt cabeceou e Barovero espalmou para cima.

O gol são-paulino saiu em uma jogada com a cara da partida até então. Bruno cruzou pela direita e Calleri tentou dominar no peito dentro da área. A bola pegou em Ganso e sobrou para o argentino, mesmo caindo, chutar no meio do gol, o bastante para vencer Barovero e abrir o placar.

O panorama mudou após o intervalo. O River Plate voltou decidido a empatar o jogo e passou a pressionar. Rodrigo Caio afastou mal após cobrança de lateral de Casco na área e Domingo bateu de primeira para grande defesa de Denis. Pouco depois, D’Alessandro cruzou, Alario cabeceou e a bola passou muito perto da trave.

A história do jogo mudou novamente aos 14 minutos. Michel Bastos levantou a bola em escanteio e Calleri, sozinho, ampliou a vantagem de cabeça. Pouco depois, D’Alessandro fez falta na defesa e a confusão se instalou em campo. O craque argentino chegou a dar um tapa no rosto de Calleri, mas não levou nem cartão. Quem foi punido foi o atacante são-paulino, com amarelo, e o lateral Vangioni, expulso de campo.

Com um a mais, o Tricolor passou a controlar as ações, chegando a fazer lances de efeitos e tendo a oportunidade de ampliar o marcador. A impressão era que o final do jogo seria tranquilo, mas uma falha de Denis comprometeu essa tranquilidade. O goleiro saiu mal do gol em cruzamento na área, Mercado desviou de cabeça e Iván Alonso ficou na boa para completar para as redes. Pouco depois, João Schmidt fez falta pelo meio, levou o segundo amarelo e deixou as duas equipes com dez jogadores em campo.

O River se jogou ao ataque nos minutos finais e deu espaços na defesa. Tanto que, aos 45, Alan Kardec recebeu livre em contra-ataque, avançou e perdeu gol incrível ao finalizar para fora. Pouco depois, Centurión recebeu de Ganso e encheu o pé, mas mandou por cima do travessão. Do outro lado, Denis saiu mal novamente no jogo aéreo e Rodrigo Caio tirou o sufoco para escanteio, no último lance de perigo antes do apito final.

Agora, a situação do São Paulo é bem fácil de entender. Com oito pontos, basta empatar com o The Strongest, na Bolívia, para se classificar. Em caso de derrota, o time boliviano é quem passa de fase. O River Plate, também com oito pontos, por sua vez, recebe o Trujillanos. Caso consiga tirar a vantagem de três gols de saldo dos argentinos, o Tricolor se classificará em primeiro do Grupo 1.