Campeão olímpico em 1992, Amauri deve quase R$ 1 mi aos cofres públicos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 15/02/2017 13h35

Amauri foi medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1984Amauri foi medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1984

Medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Los Angeles 1984 e campeão em Barcelona 1992, o ex-jogador de vôlei Amauri Ribeiro deve perto de R$ 1 milhão aos cofres públicos. O Ministério do Esporte cobra o valor referente a um convênio assinado em 2010 com a Associação Brasileira de Voleibol Paralímpico (ABVP), presidida por Amauri à época. O débito inicial era de R$ 554 636,98. Com atualização, a pendência salta para R$ 960.900,17.

O ministério alega que, desde 2012, tenta receber a dívida de Amauri, mas sem sucesso. A pasta, então, resolveu tornar pública neste mês a dívida por meio de publicação no Diário Oficial da União. Na nota, alega que Amauri “se encontra em locais incertos e não sabidos”. Segundo o Ministério do Esporte, o ex-jogador não apresentou nenhuma justificativa para não quitar o valor devido e, apenas em 2015, solicitou maior prazo para o pagamento, mas não cumpriu o acordo.

A Associação Brasileira de Voleibol Paralímpico (ABVP) fechou convênio com Ministério do Esporte para treinamento e preparação de atletas no período de 12 meses, de dezembro de 2010 a dezembro de 2011. O objetivo era compor as seleções paralímpicas de vôlei para os Jogos Paralímpicos do Rio. O Ministério do Esporte repassou o dinheiro e, desde então, segundo a pasta, Amauri não apresentou a prestação de contas.

Hoje, Amauri Ribeiro é presidente da Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes (CBVD), com sede em São Paulo. O Ministério enviou notificações à entidade, na Vila Mariana, zona sul da capital, mas não obteve respostas. Se a dívida não for paga, a pasta promete encaminhar o caso ao Tribunal de Contas da União. Amauri Ribeiro não foi localizado pela reportagem do Estadão.

Amauri tem 58 anos e é um dos maiores nomes do vôlei brasileiro. Disputou quatro edições dos Jogos Olímpicos. Em Moscou 1980, o Brasil ficou na quinta colocação. Foi medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1984, em Los Angeles. Na Olimpíada de 1988, em Seul, ficou no quarto lugar e atingiu o ápice da carreira com o ouro nos Jogos Olímpicos de 1992, em Barcelona. Também foi vice-campeão mundial em 1982. Encerrou a carreira de jogador em 1993 para depois se tornar treinador e dirigente.