Casillas evita vexame histórico do Real Madrid diante do heroico Schalke 04

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2015 18h38
Cristiano Ronaldo marcou dois gols

Ninguém duvidava que o Real Madrid, após vencer o Schalke 04 na Alemanha no jogo de ida por 2 a 0, conquistaria com facilidade da vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões. Porém, em má fase, o time espanhol se viu diante de um Schalke heroico e em grande noite. Não fossem os gols de Cristiano Ronaldo e Benzema e as defesas de Casillas, uma tragédia teria acontecido no Santiago Bernabéu. No placar final, a vitória por 4 a 3 não foi o bastante para o time alemão conseguir uma proeza histórica.

No início da partida, o óbvio era o Real Madrid, time mais forte e com o apoio da torcida, ir para cima. Isso aconteceu, mas só nos primeiros minutos, até o Schalke começar a se soltar e mostrar toda sua ousadia. Choupo-Moting, Mayer e Höger ameaçavam a meta de Casillas, e a equipe alemã começava a dominar os espaços em campo. A ousadia se transformou em alegria quando Fuchs dominou cruzamento da direita que a defesa merengue não conseguiu cortar e encheu o pé para abrir o placar.

Os Galacticos, contudo, não ficaram muito tempo em desvantagem. Logo a estrela de Cristiano Ronaldo começou a brilhar, pelo alto, quando o português completou escanteio de cabeça e deixou tudo igual. Para quem achou que, com o gol, o Real Madrid ia deslanchar em campo, não foi o que aconteceu. O Schalke continuou incomodando e Huntelaar acertou o travessão em pancada de longe. Logo depois, o mesmo Huntelaar pegou rebote de chute de Mayer e mandou pra dentro. Entretanto, novamente Ronaldo apareceu, cinco minutos depois, para completar, pelo alto, cruzamento de Coentrão e deixar tudo igual no fim do primeiro tempo.

O ritmo frenético não mudou na etapa final. A situação se mantinha complicada para o Real, que, no entanto, foi ao gol com Benzema aos 6 minutos. O francês aproveitou sobra na área, driblou a marcação, limpou o goleiro e estufou as redes. Mas o adversário era persistente, e a resposta veio pouco depois: Sané dominou na entrada da área e bateu colocado para vencer Casillas, que apenas olhou a bola entrar.

Boas chances seguiram aparecendo para as duas equipes. Barnetta cobrou escanteio, a bola voltou para o suíço, que soltou a bomba. A bola passou rente à linha do gol e ninguém marcou. Do outro lado, Isco deixou Arbeloa na cara do gol, mas o espanhol acertou Wellenreuther na boa saída do arqueiro. Depois, Kroos recebeu de Isco e arriscou de fora da área para bela defesa do compatriota do Schalke.

Só a partir dos 30 minutos que o ritmo começou a diminuir. O Schalke parecia se conformar aos poucos com a eliminação e com o grande papel desempenhado na partida. Isso até os 39 minutos, quando Sané passou para Huntelaar avançar nas costas da zaga e finalizar na saída do goleiro. O milagre improvável parecia possível novamente, e o time azul foi para cima. Casillas foi quem apareceu para, com grandes defesas, salvar o Real Madrid do vexame e garantir a classificação numa partida épica e imprevisível.