Cauteloso, Aranha quer evitar polêmicas com Prass: “sei que vocês vão forçar”

  • Por Jovem Pan
  • 03/02/2015 12h45
SÃO PAULO, SP, 03.02.2015: FUTEBOL-PALMEIRAS - O goleiro Aranha é apresentado no Palmeiras, na Academia de Futebol, no bairro da Barra Funda, zona oeste de São Paulo, nesta terça-feira (3). (Foto: Daniel Vorley/AGIF/Folhapress)18º reforço

Depois de uma novela para deixar o Santos, Aranha foi finalmente apresentado, nesta terça-feira (03), como reforço do Palmeiras. Em suas primeiras palavras como alviverde, o goleiro se disse grato ao Peixe e negou que tenha dado um passo atrás ao chegar em um clube no qual, ao menos no início, será reserva. O arqueiro se disse “atento” com as palavras para evitar qualquer polêmica com Fernando Prass, títular da meta palmeirense.

Para deixar a Vila Belmiro, Aranha entrou na Justiça contra o Santos, mas acabou acertando um acordo para deixar o clube. Apesar disso, ele garantiu não existir atrito com o time da Baixada Santista. “Se tem uma coisa que posso falar com toda certeza e tranquilidade é que sou muito grato a tudo que o Santos fez por mim. Sempre fui bem tratado pela torcida, clube, tive momentos maravilhosos, e nem na dificuldade fui abandonado. Mas como pai de família e homem, tem que colocar tudo na balança, e senti que meu ciclo estava se encerrando”, explicou-se. 

Bombardeado de perguntas sobre a disputa de posição com Fernando Prass, Aranha adotou tom cauteloso. “Temos de mudar no futebol o enxergar o adversário como inimigo. Por isto tem briga. Mas é rival, e somos profissionais. Como eu chego agora, ele também chegou. Isto é normal. Não tem problema nenhum. E conhecendo vocês (jornalistas), sei que vocês dão uma forçada para sair uma vírgula. Por isto temos de estar atentos”, disse o jogador de 34 anos, que garantiu não haver “disputa partiular” com o atual titular da meta alviverde.

Sair de um grande do Estado de São Paulo para outro é motivo de orgulho para o goleiro. “Vou procurar fazer meu melhor, e quando precisarem, espero corresponder. Mas não vim para cá olhando número de camisa. Todos querem ser titular, mas estou aqui para trabalhar. E aos 34 anos, me abriu uma chance de trabalho no Palmeiras. Não é pouca coisa, o mercado está muito concorrido, e você sair de um clube grande como o Santos, e ir para outro, é para poucos”, disse. 

Questionado sobre ofensas racistas que recebeu de torcedores santistas ao entrar na justiça contra o clube, Aranha foi direto. “Não sou sonhador. No futebol, no começo, ninguém aceitava negros. A questão foi um aceitar antes do outro. Nenhum time eu vejo como racista, sei que isto não existe. O racismo, ou o racista, está em todo lugar. Às vezes se mostra, às vezes não. Posso ter feito amizade e adorado uma pessoa que é racista e não sei. Fico aliviado quando mostram a cara”, finalizou.

Aranha é o 18º reforço do Palmeiras na temporada. Recentemente, o clube confirmou a chegada do volante Arouca, outro ex-jogador do Santos.