Ceni acalma torcida e vê boa safra de goleiros no SPFC: “solução está em casa”

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2016 19h04
Aposentado desde o final de 2015

Não será apenas Jonathan Calleri que desfalcará o São Paulo na partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América. Expulso no segundo tempo do jogo contra o The Strongest, na semana passada, Denis não poderá entrar em campo diante do Toluca, no Morumbi. O problema, contudo, é que Renan Ribeiro, primeiro reserva do goleiro, recentemente fez cirurgia para a retirada da apêndice. Ele quase não treinou com bola desde então. Já o terceiro arqueiro, Léo, de 25 anos, nunca atuou em uma partida profissional. 

E agora? Quem defenderá a meta são-paulina no embate com os mexicanos, na próxima quinta-feira? Maior ídolo da história do São Paulo, Rogério Ceni não sabe a resposta para esta pergunta. Porém, os 25 anos de experiência sob as traves tricolores o fazem ter a certeza de que, independente de quem jogar, a vaga estará em boas mãos. Apesar da imensa desconfiança que cerca os jogadores da posição desde que se aposentou, o agora torcedor Rogério não se preocupa com o futuro do gol são-paulino. 

Além do Denis, tem o Renan, o Léo… O São Paulo tem uma boa safra de goleiros. Dentro do clube existe a solução. Tanto com o Denis jogando ou agora com a oportunidade para os dois que estão atrás dele, avaliou o maior goleiro da história do São Paulo, em entrevista exclusiva a Nilson Cesar para o Plantão de Domingo, da Rádio Jovem Pan.

A fala de Ceni certamente acalma os torcedores são-paulinos. Denis, afinal, não tem reagido bem à responsabilidade de substituir o Mito na meta tricolor. O goleiro de 29 anos acumulou falhas em jogos importantes do Campeonato Paulista e da Libertadores e, mesmo com a faixa de capitão no braço, não consegue transmitir segurança às arquibancadas. 

Se a saída de gol precária e a dificuldade em segurar finalizações já irritavam a torcida do São Paulo, a infantil expulsão de Denis na Bolívia, na semana passada, acabou com a paciência dos tricolores. Amarelado por ter atrasado o reinício do jogo aos 25 minutos do segundo tempo, o goleiro voltou a fazer cera na frente do árbitro nos minutos finais e levou o cartão vermelho de forma tola. Como já havia feito as três substituições, o São Paulo teve de se segurar por 120 segundos com o zagueiro Maicon no gol. Por pouco a vaga às oitavas de final da Libertadores não foi perdida. 

A pressão sobre Denis aumentou consideravelmente. ´Há até quem diga que a diretoria já pensa em contratar um novo jogador para a posição. Mas Rogério confia na capacidade do seu sucessor. Para ele, o problema do São Paulo é ter se tornado um clube mais vulnerável nos últimos anos – devido à falta de grandes conquistasQuando você tem um embasamento grande, um suporte, como tem o Corinthians, por exemplo, com títulos recentes, fica mais fácil, mais leve, de se trabalhar. Então, no São Paulo existe esse pesoO time foi remontado, há nova filosofia de um treinador….“, constatou. 

Você vê que o São Paulo não é tão pressionado pelos adversários durante os jogos. Então, quando as bolas vêm ao gol, é preciso que o goleiro esteja sempre bem confiante. E a confiança vem de bons resultados, boas defesas…“, explicou Rogério Ceni, antes de dizer que não vê problemas nas constantes cobranças a Denis. “Eu acho que é natural para um primeiro ano dele jogando… Vai ser avaliado todos os dias. Eu costumo falar que o goleiro, principalmente, é julgado publicamente toda quarta e domingo. Isto faz parte da carreira. Tem de saber lidar com a pressão… Eu torço muito por ele”, finalizou, como sempre, transmitindo segurança aos torcedores são-paulinos.