Chapéu, elástico e golaços: relembre momentos que Ganso nos fez crer em sua genialidade

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2015 14h47
Revelado pelo Santos e hoje camisa 10 do São Paulo

Chamado por muitos de o “último camisa 10 clássico do futebol brasileiro”, o meia Paulo Henrique Ganso completa 26 anos nesta segunda-feira (12). Nascido em Ananindeua, no Pará, o camisa 10 do São Paulo surgiu como um dos grandes jogadores do país e até hoje desperta grande expectativa dos amantes do futebol brasileiro.

Revelado pela base do Santos em 2008, o meia só ganhou espaço no alvinegro da Vila em 2009, e se consolidou como grande jogador em 2010, no time campeão Paulista e da Copa do Brasil, ao lado de Neymar. O início de carreira brilhante fez com que todas as análises colocassem Ganso entre os atletas mais promissores do futebol mundial.

Os anos passaram e o desempenho da temporada 2010 não se repetiu. Ganso não confirmou as expectativas, não garantiu lugar na Seleção ou em um grande clube do futebol europeu e passou a ser questionado. No dia do aniversário do camisa 10, o Jovem Pan Online relembre momentos da carreira de Ganso que nos fizeram acreditar que o meia seria um dos grandes craques do futebol brasileiro. Confira:

Golaço contra o Grêmio

Na disputa do Copa do Brasil de 2010, Ganso mostrou o quanto poderia ser decisivo ao marcar o golaço que abriu caminho na vitória do Peixe sobre o Grêmio, nas semifinais da competição. Pintur até hoje lembrada com saudade pelo torcedor santista.

Final do campeonato Paulista de 2010: escanteio pra “ninguém” e “não” a Dorival

A decisão do Campeonato Paulista de 2010 foi o grande momento da carreira de Ganso. O meia chamou a responsabilidade principalmente quando o Santos sofria com dois jogadores a menos e era pressionado pelo Santos André. Ganso gastou o tempo, segurou a bola e fez de tudo para que o Peixe sobrevivesse. O camisa 10 mostrou toda sua personalidade e vontade de ajudar quando o técnico Dorival Junior decidiu tirá-lo da partida e o paraense se recusou a deixar o campo.

Santos e Cerro Porteño: o renascimento

Após grave lesão no joelho em 2010, Ganso iniciou 2011 sob desconfiança. E quando o Santos mais precisou de seu camisa 10, o maestro mostrou sua capacidade. O jogo era contra o Cerro Porteño, no Paraguai. Se fosse derrotado, o time da Vila Belmiro estaria eliminado e os desfalques de Neymar, Elano e Zé Love preocupavam os santistas, mas Ganso fez uma partida de gala e comandou a vitória alvinegra.

Elástico na estreia pela Seleção

Em sua estreia pela Seleção Brasileira, Ganso aumentou toda a expectativa do torcedor. Em partida contra os Estados Unidos, o camisa 10 brilhou e deixou o campo muito elogiado principalmente após o belo elástico que aplicou no marcador.

Gol contra o Santos

NO São Paulo, Ganso poucas vezes jogou no nível de seu início de carreira. Foi justamente contra seu ex-time, o Santos, que o camisa 10 fez um de seus gols mais bonitos pelo tricolor deixando o torcedor brasileiro ansioso pela volta do grande futebol do meia.