Chilenos presos na Arena Corinthians podem ir para a audiência de custódia

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2017 09h42

Chilenos chegaram na delegacia ainda na madrugada desta quinta-feira

Chilenos chegaram na delegacia ainda na madrugada desta quinta-feira

A Polícia Civil registrou o boletim de ocorrência no 24º Distrito Policial, na região da Ponte Rasa, Zona Leste de São Paulo, contra torcedores do Universidad de Chile por conta do “quebra-quebra” que tomou conta da arquibancada visitante na partida na noite da última quarta na arena Corinthians, pela Copa Sul-Americana.

Segundo informações do repórter Fernando Martins durante o Jornal da Manhã desta quinta-feira, 26 torcedores chilenos foram encaminhados a delegacia após a partida e serão ouvidos pelas autoridades policiais. Ao todo, 900 torcedores do Universidad estavam no setor visitante. Entres os 26 que estão na delegacia está um jornalista, que não soube explicar onde estavam seus pertences de trabalho e nem por que estava no meio da arruaça.

O delegado adjunto do 24º DP afirmou à reportagem que cada um deles serão ouvidos individualmente e cada um terá suas responsabilidades atribuídas conforme a sua respectiva participação no episódio de quarta à noite. Definido isso, os 26 devem ser encaminhados para uma audiência de custódia, feita apenas em casos de prisão em flagrante, no Fórum da Barra Funda, para o juíz decidir o futuro dos torcedores.

Os atos de vandalismo se iniciaram antes da partida, quando torcedores chilenos começaram a quebrar cadeiras e arremessar em direção à torcida do Corinthians que estavam em outro setor do estádio. Durante o intervalo, a confusão se estendeu aos banheiros, que também foram danificados. A Polícia agiu antes do início do segundo tempo e retirou os demais torcedores da arquibancada, mantendo apenas o grupo que seria encaminhado à DP logo em seguida.

“Ao chegarem no estádio, os torcedores chilenos foram posicionados no lugar que eram destinados a eles e iniciaram atos de vandalismo. Eles foram contidos até o término do primeiro tempo. Nesse momento (durante o intervalo), eles quebraram todo o banheiro do Corinthians e mais cadeiras”, relatou o Tenente Ailton Alves, do batalhão de choque da Polícia Militar, em entrevista à Jovem Pan.

Os atos de vandalismo causaram ferimentos em dois policiais militares, uma funcionária da Arena Corinthians, além de outros quatro torcedores que sofreram escoriações. Segundo Ricardo de Souza, gerente de operações da Arena Corinthians, os acontecimentos também causaram prejuízos patrimoniais ao clube.

“No mais tardar nesta tarde, a gente já vai ter um levantamento de tudo que foi danificado. Nós sempre preparamos o evento pensando que a operação siga dentro de uma normalidade, que é o torcedor chegar, se acomodar, assistir ao jogo e ir embora tranquilamente. Nós temos planos emergenciais, mas esta foi uma situação muito fora da curva e o policiamento agiu de forma muito eficaz”, afirmou Ricardo.

Em campo, o Corinthians estreou com vitória. Rodriguinho e Jadson marcaram os gols que colocam o Timão em vantagem para a partida de volta, no Chile, no dia 10 de maio.