Chulapa critica perda de Lucas Lima para a Seleção: “amistosos nada a ver”

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2015 18h26
SANTOS,SP,30.04.2015:SANTOS-TREINO - O técnico Serginho Chulapa durante treino do Santos, no CT Rei Pelé, em Santos (SP), nesta quinta-feira (30). A equipe se prepara para enfrentar o Palmeiras em partida válida pela final do Campeonato Paulista 2015. (Foto: delamonica/Futura Press/Folhapress)Serginho Chulapa trabalha como auxiliar técnico de Marcelo Fernandes

O ex-atacante Serginho Chulapa, integrante da comissão técnica do Santos, não perdeu a veia polêmica que, além dos muitos gols, o caracterizou quando jogador. Entre elogios ao time do Peixe e a jogadores em especial, Chulapa criticou, em entrevista à Rádio Jovem Pan, o fato de a equipe ficar desfalcada de Lucas Lima por três partidas.

“Ele (Lucas Lima) vive uma grande fase, e para nós vai fazer muita falta. Eu, sinceramente, acho ridículo isso aí. Então, já que convocou, por que não faz como na Europa e fica sem rodada do Campeonato Brasileiro?”, questionou. “O Lucas vive seu melhor momento, as outras equipes perdem também, por causa de um amistoso que não tem nada a ver. Tem que mudar, se não vai continuar esse sofrimento de falta dos jogadores de importância”.

Sobre a boa fase do time do Santos, Serginho analisa alguns fatores que contribuem para ela. “Quando a gente foi campeão paulista, tinha Robinho, Renato, Valencia, Elano mesclados com Gabriel, Geuvânio, Lucas Lima. O Dorival está revezando vários jogadores da base para todo mundo se sentir importante. Essa molecada, junto com a experiência, principalmente a do Renato, tem sido muito importante. Pena que, quando começa a despontar, não tem jeito de segurar no clube”, afirmou o ex-atacante. Um dos jogadores que recebeu propostas do exterior foi Gabriel, que não quis ir à Turquia jogar no Fenerbahçe.

“O Gabriel, desde a base, é um moleque que a gente via que tinha futuro grande. Era um pouquinho ‘desencapado’ no começo, mas depois encapou de novo. É um moleque do bem, que ouve a gente, aceita a crítica para ele melhorar. Eu pegava no pé dele em relação a aprimorar mais a perna direita, já que é canhoto, aprimorar o cabeceio. Hoje ele é uma realidade, apesar da idade”, elogiou Chulapa, para quem o “Gabigol” pode jogar em qualquer time. “Ele tem sim condições de jogar, melhorou muito seu posicionamento em campo, ajudando os companheiros, cabe em qualquer clube do mundo”.

Mas não são apenas os jovens que merecem elogios. “Quando o Ricardo Oliveira foi contratado, eu falei: ‘traz esse cara que vai dar certo, ele é a cara do Santos’. Ele veio, começou a fazer gols, é um cara que se cuida, um cara do bem. Com a experiência ele ajuda essa molecada, a molecada corre, e ele também. Até brinco com ele que vai ser multado, porque corre acima dos 50km/h (risos). Foi artilheiro do Paulista e agora é artilheiro do Brasileiro, algo complicado para quem tem 35 anos”, concluiu o ex-artilheiro de Santos e São Paulo.